FIPSL 2021: Festival em Cascais… um sucesso!

FIPSL 2021: Festival em Cascais… um sucesso!

E-D: Boaventura Freire, Vasco Freire, Tomás Freire, Arq. Diogo Lima Mayer, Dr. Pedro Ferraz da Costa e Dr. António Brito Pais

Afinal a localização é Prime. É a primeira conclusão que podemos retirar do esmagador sucesso obtido este fim de semana no Festival Internacional do Puro Sangue Lusitano em Cascais.

Depois de demasiados anos de casa vazia, o Festival do Lusitano renasceu este ano com a participação de mais de cem animais em concurso, e com uma afluência de público apenas registada nos anos 90 do século passado.

A APSL lançou o repto aos criadores e proprietários e a resposta superou as expectativas mais otimistas. O público veio assistir em crescendo. No domingo o velho hipódromo registou uma afluência sem precedentes. Um mar de gente interessada e satisfeita com as mudanças operadas pela APSL na Festa maior da raça Lusitana.

O foco principal da mudança foi a integração do público no Festival. Um evento que definhava colado à imagem de uma sociedade rural do século XIX (“les uns et les outres” – caracterizava alguém com graça), abriu portas à modernidade do século XXI.

O espetáculo virou-se para as bancadas do público. Habitualmente o mesmo ocorria virado para a alta tenda principal. As mesas das refeições desceram ao nível do espetáculo. A oferta de comida rápida, e de bebidas, foi ao encontro da satisfação de todos aqueles que ali se deslocaram.

A acompanhar esta mudança, assistiu-se à apresentação de animais de elevado nível, demonstrando-se assim que o futuro, será ainda mais risonho para uma raça que tem vindo a somar sucesso atrás de sucesso.

Como em qualquer sucesso, a dificuldade superveniente será a manutenção desta fórmula, acrescida de melhorias, para que o próximo Festival satisfaça as aspirações de todos os participantes e principalmente do público que ali se desloca ávido de ver os melhores Lusitanos do mundo.

Algumas declarações acerca do Festival:

“As modificações introduzidas no Festival foram ao encontro da ambição da Direção da APSL em fazer mais e melhor. Estávamos um pouco expectantes com o resultado, pois afinal mexemos no formato, mas ficámos com um sentimento de enorme satisfação ao verificar a forma como público e participantes reagiram a este novo formato. Já estamos a trabalhar nas melhorias a introduzir no Festival de 2022.” João Ralão Duarte (APSL)

“Temos o nosso Festival de volta. Num formato moderno, e com os criadores unidos e predispostos a eternizar Cascais como a festa máxima da raça. Se pretendemos novos mercados temos de trabalhar em conjunto. A APSL e a raça Lusitana em concreto estão de parabéns” Rodrigo Almeida (Acervo Fotográfico do Cavalo Lusitano).

Mais uma vez o criador Dressage Plus destacou-se no Modelo e Andamentos do Festival Internacional do Cavalo Lusitano 2021. Esse destaque culminou com a escolha do garanhão «Lord Plus» (Escorial x Elite Plus por Peralta) enquanto Campeão Macho. Todos os cavalos apurados foram medalhados com medalha de ouro. «Lord Plus» foi montado por João Sousa Faustino, e conquistou o 1º Lugar da classe de cavalos montados 5 anos ou mais.

A Dressage Plus, conquistou ainda o prémio de Melhor Criador.

 

«Lord Plus» montado por João Sousa Faustino. Fotos (c) Rui Pedro Godinho

Na classe dos 4 anos, três dos quatro animais classificados foram medalha de ouro. O vencedor foi «Neptuno das Faias» (Escorial x Feeling por Sol) da criação Coudelaria Luis Bastos.

««Neptuno das Faias» (Escorial x Feeling por Sol) da Coudelaria Luis Bastos

O vencedor da classe de 3 anos com medalha de ouro foi o poldro «Orion» (Escorial x Bacarena por Violino) da criação de João Claúdio Oliveira.

«Poema» (Escorial x Xaquira por Quixote)

O vencedor da classe poldros de 2 anos foi o poldro «Poema» (Escorial x Xaquira por Quixote) do criador Coudelaria Abbatiale classificando-se em primeiro lugar com medalha de prata.

Na classe de poldros 1 ano, com poldros de enorme qualidade onde 3 dos 4 poldros qualificados foram medalhados com medalha de ouro. O grande vencedor desta classe foi «Quazar das Faias» (Indigo x Favorita por Sol) da Coudelaria Luís Bastos e propriedade do Eng. Afonso Serra Neves.

O progenitor da maioria deste prol de campeões é o «Escorial».

«Rubi AR» venceu a classe descendência de garanhão com medalha de prata representado pelos seus descendentes Missanga, Nogá, Mata-Ladrões e Obladá do criador Coudelaria Félix da Costa.

«Quinteiro da Broa MV» (Embroque x Marqueza MV por Danúbio MV) da Coudelaria Manuel Tavares, recebeu o Diploma de Reprodutor de Mérito, sendo o único Lusitano presente neste certame a receber tão prestigiada distinção.

Resultados – Fêmeas AQUI

Categorias: Coudelarias, Notícias