Dragão das Figueiras vendido ao banqueiro Patrice Mourruau

Dragão das Figueiras vendido ao banqueiro Patrice Mourruau

Severo Jesus Jurado / Dragão das Figueiras

O garanhão Lusitano Dragão das Figueiras (Único x Valéria por Xaquiro) foi vendido ao banqueiro francês Patrice Mourruau residente no Luxemburgo.

Este cavalo de Grande Prémio do criador português António Simões (Herdade das Figueiras) foi transaccionado em 19 de Abril 2017 e encontra-se registado como propriedade da empresa Grand Ducal Dressage de Patrice Mourruau.

De recordar que Dragão evoluiu até ao nível de Grande Prémio montado pelo espanhol António Garcia Mena. Em 2015 o cavalo regressou a Portugal após uma breve passagem pelas boxes da cavaleira espanhola Morgan Barbançon. No Inverno do ano transacto, Dragão foi transferido para as boxes da Helgstrand Dressage (Dinamarca) para ser novamente vendido.

Em Março deste ano o cavalo regressou às pistas montado pelo espanhol Severo Jesus Jurado tendo conquistado o 3º lugar no Grande Prémio do CDI3* de Herning na Dinamarca, conseguindo o extraordinário resultado de 72,960%, destacando assim a qualidade do nosso Lusitano.

Gonçalo Carvalho / Batuta


Notícia sobre a eventual venda da Batuta é por enquanto “especulativa”

A notícia divulgada pelo site Eurodressage, segundo a qual a empresa portuguesa International Sport Horses Investment teria negociado a venda da égua de Grande Prémio Batuta (Quixote x Jandaia por Ícaro) de 11 anos, ao cavaleiro japonês Kazuki Sado, despertou grande curiosidade no meio equestre nacional e internacional. Contactado o ISHI foi-nos confirmado que até esta data, a égua continua a ser propriedade da empresa pois na verdade esta venda ainda não se concretizou.

A última vez que a Batuta foi vista nas pistas internacionais foi no CDI3* de Jerez de la Frontera (Espanha) em Março do ano transacto, montada pelo olímpico Gonçalo Carvalho quando conquistou o 3º lugar no Grande Prémio e G.P. Especial com as excelentes médias de 71,820% e 71,666%