Várias tradições juntaram-se na Gala de Tauromaquia em Alter do Chão

Várias tradições juntaram-se na Gala de Tauromaquia em Alter do Chão

O Cineteatro de Alter do Chão, no distrito de Portalegre, recebeu no sábado (26) a gala de tauromaquia organizada pela Ramagens Ouro e Prata Tauromaquia, naquela que foi a nona edição.

Perante sala cheia e inclusive com pessoas de pé, foram homenageados António da Luz Brito Paes (a título póstumo), Rui Rosado, José Simões, Albino Fernandes, António José Batista (ex-cabo dos Amadores de Portalegre), Jesuíno Mesquita (ex-cabo dos Amadores de Coruche e ex-forcado dos Amadores de Montemor), João Paulo Faria (ex-cabo dos Amadores de Alter do Chão), Ricardo Porto Nunes (ex-cabo dos Amadores de Arronches), Alfredo Rouxinol, Luís Capucha, a Tertúlia “Festa Brava” e o Bar “O Picadeiro”.

A noite foi também de actuações, nas quais marcaram presença Duarte Gato, Filipe Núncio, Joaquim Ferreira, Estúdio de Dança Rita Trindade, Escola de Toureio do Montijo, Banda Municipal Alterense, Grupo Musica Abellerium, Vozes da Misericórdia, Oficina de Sonhos, entre outros momentos de particular interesse.

O Toureio.pt falou com Marco Gomes, organizador deste evento que começou por referir que “mais uma noite em grande, na gala de tauromaquia de Alter, que já é uma tradição. Também acaba por reunir-se aqui toda a comunidade alterense, e isso foi importante”, acrescentando que “foi importante reunir-se aqui toda a comunidade alterense, através do projecto Ramagens Ouro e Prata Tauromaquia aglutinar aqui aficionados e simples apoiantes da festa e outros que veem porque gostam e gostam de ver os toureiros e toda esta animação cultural que fazemos aqui todos os anos”.

Marco Gomes, realça que “é a nona gala que é organizada, anteriormente organizada pelo Agrupamento de escolas taurino de Alter do Chão, entretanto extinto por decisão da senhora directora e dos elementos do conselho pedagógico. De resto o Ramagens Ouro e Prata já existia e assumiu este projecto da gala de tauromaquia e irá assumir nos próximos anos sem preconceitos nenhuns. E a prova é que hoje esteve aqui alguns alunos que há muito tempo nos acompanhavam e que hoje estão na universidade.” Neste sentido o promotor deste evento destaca que “a tauromaquia não influencia ninguém negativamente, bem pelo contrário. A tauromaquia é uma disciplinadora, fazedora de homens e mulheres e que sobretudo sabem estar na festa e na vida.”

Questionado sobre as polémicas que envolveram recentemente a Tauromaquia e sobre a inclusão desta arte num espectáculo com outros tipos de cultura, Marco Gomes referiu que “a minha postura foi sempre de estar de frente para a vida, agarro sempre o touro pelos cornos e não tenho problemas nem preconceito em assumir-me como taurino”, acrescentando que “se não considerarmos a dança, o fado, a música popular portuguesa cultura, aqui de mãos dadas com a tauromaquia, então o que é isto? Hoje tudo aqui esteve reunido, é possível reunir tudo isto. Tivemos aqui toureio de salão, hoje tivemos aqui a escola de toureio do Montijo, numa arte de montes e penso eu que toda a gente ficou feliz, ninguém sai daqui melindrado. Penso que sai toda a gente daqui com uma noite cheia, penso que o cineteatro estava completamente esgotado, recordo que isto tem 380 lugares, havia pessoas nas coxias, havia pessoas em todo o lado. Para mim é uma noite de coração cheio, de grande felicidade.”

Categories: Notícias, Tauromaquia