Tóquio2020: Kim Raisner expulsa dos J.O. (VÍDEO)

Tóquio2020: Kim Raisner expulsa dos J.O. (VÍDEO)

Anikka Schleu (GER) / Saint Boy. Foto (c) Tatyana Zenkovich

A treinadora de pentatlo moderno da Alemanha, Kim Raisner, foi excluída dos Jogos Olímpicos de Tóquio após ter dado um murro no cavalo que a atleta alemã Anikka Schleu montava.

A Federação de Pentatlo Moderno (UIPM) disse que Raisner foi desqualificada por causa das suas acções durante os saltos de sexta-feira.

O chefe da equipa olímpica da Alemanha, Alfons Hörmann, referiu também que a técnica foi retirada da competição individual masculina e exigiu ainda mudanças urgentes nas regras da federação internacional. “Todos concordamos que a técnica não estará na competição no sábado”, disse Hörmann.

“Também consideramos que uma revisão urgente do incidente é necessária, especialmente em termos de protecção animal, e que as federações nacionais e internacionais devem tirar as suas próprias conclusões”.

Na prova de hipismo do pentatlo moderno, os atletas têm apenas 20 minutos para se habituarem a um cavalo que nunca montaram. Na sexta-feira, a alemã Anikka Schleu, que vinha na primeira posição na prova (com uma vantagem de 24 segundos), ficou em lágrimas quando não conseguiu fazer o percurso porque Saint Boy, o cavalo que lhe foi atribuído, se recusou a saltar. Acabou por passar para a 31.ª posição.

A treinadora incentivou a atleta a bater no cavalo. As ordens de Raisner, que dizia “acerta-lhe, acerta-lhe mesmo”, foram ouvidas ao vivo na Alemanha, desencadeando uma onda de críticas.

A melhor colocada Michelle Gulyas e a irlandesa Natalya Coyle sofreram destinos semelhantes com os seus cavalos, uma vez que viram as esperanças de pisar o pódio serem destruídas, caindo do top 10.

“As regras devem mudar de forma a que tanto o cavaleiro como o cavalo sejam protegidos”, disse Hörmann. “O foco deve estar no bem-estar dos animais e na competição justa para os atletas”.