Tauromaquia demonstra vitalidade com subida de espectadores em 2017

Tauromaquia demonstra vitalidade com subida de espectadores em 2017

Temporada Tauromáquica de 2017 foi marcada pelo crescimento de 1,8% de espectadores nos espectáculos taurinos nacionais (435.660) e por um conjunto de indicadores muito positivos que remetem para a retoma e crescimento do sector no país. A temporada de 2017 registou um crescimento de 1,8% do número de espectadores nos espectáculos tauromáquicos (435.660) em relação ao ano de 2016 (430.150).

O número médio de espectadores nas corridas de toiros tem vindo a crescer desde 2013. Em 2017 registou-se um aumento significativo de 9,1% no número médio de espectadores nas corridas de toiros passando de 2375 (2016) para 2591 (2017). A taxa média de ocupação das praças em Corridas de toiros subiu também de 66% (2016) para 70% (2017). Estes são indicadores muito positivos e que apontam para uma retoma do crescimento de assistência aos espectáculos tauromáquicos.

Realizaram-se 205 espectáculos, menos 13 que em 2016 (218) o que já era esperado visto que duas praças de primeira categoria como Almeirim e Setúbal não estarem activas por se encontrarem a ser alvo de obras de renovação. Quanto à tipologia de espectáculos, as corridas de toiros continuam a dominar representando 69% dos espectáculos tauromáquicos.

O ano de 2017 ficou também marcado pelo regresso das transmissões televisivas de corridas de toiros na TVI. Este regresso foi marcado por um enorme sucesso e liderança de audiência que conjugado com as três Corridas transmitidas pela RTP1, obtiveram um acumulado médio de cerca de 2 milhões de telespectadores (1,8 milhões) num exemplo cabal de serviço público, liderando as audiências nacionais em vários segmentos horários.

A Tauromaquia é uma realidade nacional. Olhando em detalhe para o território, o distrito de Lisboa liderou em número de espectáculos (37) crescendo 8,3% em relação a 2016. Albufeira é novamente a cidade com mais espectáculos (27), 22,7% em relação a 2016. A nível regional o crescimento da média de ocupação das praças em corridas de toiros foi a grande tónica de 2017. O Alentejo lidera com 74% de ocupação, seguido do Algarve com 73%, e da região Norte (72%).

Luis Rouxinol liderou o ranking nacional de Cavaleiros com 39 actuações, Manuel Dias Gomes liderou os Matadores com 11 actuações e os Forcados Amadores de Évora fizeram 20 actuações. A liderança do ranking dos novilheiros praticantes e cavaleiros praticantes é ocupada por mulheres, respectivamente Paula Santos e Cláudia Almeida.

A tauromaquia popular não está incluída neste relatório mas importa referir que se realizaram em Portugal mais de 1000 espectáculos de tauromaquia popular, onde se incluem por exemplo as Touradas à Corda, largadas, esperas e capeias, entre outros.

Categorias: Notícias, Tauromaquia