S.O. Campeonatos Nacionais da Juventude 2000

ÊXITO ESMAGADOR DOS CAVALEIROS NORTENHOS!Capt. António Pimenta da GamaEscrever um resumo do que foram os Campeonatos Nacionais da Juventude, não é quanto a mim, tarefa fácil e sobretudo agradável. Apaixonado que sempre fui e sou, do hipismo em geral e dos saltos em particular, é com a maior mágoa que terei que ser contundente e mesmo antipaticamente despretensioso.Começo por "bater" e forte, no organismo que tem neste momento a responsabilidade do hipódromo da Gandarinha. Que saudades, toda a gente sentiu, do aprazível, limpo e civilizado campo Manuel Possolo!Não é normal, a não ser que hajam interesses velados, o estado de abandono a que chegou aquele que foi por muitos considerado, o melhor campo de obstáculos de Portugal. Estou a falar pela boca de inúmeros cavaleiros estrangeiros que nos visitavam e lá concursaram dos quais ouvi sempre os maiores elogios à beleza, qualidade e funcionalidade do Campo da Gandarinha.Agora são os camiões de cavalos nos parqueamentos dos automóveis, o campo de aquecimento com nuvens de pó, o abandono das bancadas e camarotes, enfim – um sem número de carências a que se soma a quantidade de cães à solta, com chamadas de atenção, absolutamente inúteis, por parte do júri de terreno.Este intróito ao relato que a seguir inicio não é só o muro das lamentações, pois houve coisas muito positivas principalmente o nível dos participantes que revelaram bem a força do nosso hipismo e a preocupação de tantos pais, na formação e que mais dizer, educação, dos seus descendentes.Assim, 17 foi o número de cavaleiros no escalão etário dos iniciados que iniciaram o Campeonato. Quase, com a totalidade de percursos sem faltas no 1º dia a deixar antever uma luta renhida até à final, no qual não foi vencedora por um mero acidente de percurso Rebeca Santos em Fabiola, conjunto, na minha opinião, em tudo superior aos restantes.Além dos medalhados, Gonçalo Barbosa (1º) João Castro Lima (2º) e Manuel Mac Bride (3º), estiveram em plano de evidência a Maria Vozone Vilar, Inês Fortunato e Helena Barbosa da Silva. Notou-se uma nítida melhoria na colocação em sela e na solidez a cavalo na maior parte destes cavaleiros, o que muito me apraz registar.Passando aos Juvenis, categoria esta que teve o maior número de inscrições (39), vimos de tudo um pouco e dado os vários conjuntos a entrarem em pista que fizeram, ou não fizeram, percursos completamente ‘à borla’ até aos que, apesar da sua idade, já mostraram uma condução verdadeiramente impecável, aqui vai já uma referência para Francisco Negrão, Bernardo Barbosa pela óptima colocação em sela, Anselmo Teixeira pelo conjunto bonito que constituiu com o ‘Júnior,’ Alexandre Soares (a sacar tudo do seu generoso Havre), Ana Cecília Santos (conjunto muito seguro com o seu Texan II) e ainda para o muito desembaraçado e evoluído Nelson Neto, apesar da dificuldade do "envenenado" Hércules.Chegaram à conquista de um lugar no pódio uma surpresa (para mim) Márcia Cortinhas, o já esperado Francisco Negrão e o regular Luís Ribeirinho com o magnífico Algan du Jouas. Esperávamos mais de Anselmo Teixeira e de Diogo Magalhães (este para mim, um dos favoritos à vitória). Não seria justo esquecer os progressos de Ana Mello, quase nos lugares de honra e o seu magnífico e decidido percurso na 1ª mão da prova final. Foi pena o toque na barrage de desempate, o que a ser evitado, lhe daria o almejado 3º lugar. De qualquer maneira, uma palavra sentida de muita amizade e incentivo para que esta cavaleira que com uma força anímica extraordinária, consegue vencer todas as dificuldades iniciais…E, chegamos ao prato forte do ‘banquete’: 31 Júniores iniciaram o seu Campeonato e mantiveram até ao fim o "suspense" no resultado.E não digam, meus caros leitores, que é preciosismo o querer e dizer que o nosso hipismo não tem falta, na modalidade de obstáculos, de futuros e verdadeiros campeões! Ao vermos na pista, Duarte Santos, João Silva Pinto, Filipa Horta e Costa, Caetana Pereira Coutinho, Francisco Moura, Mário Wilson Fernandes, Carlos Rosa, João Marmelada e Luís Pinto Leite, entre outros, fica-nos a certeza do vaticínio atrás exposto.Outros apontamentos tirei no decorrer das provas tais como os percursos cheios de "garra" com óptima colocação em sela da concorrente Filipa Pimenta em Allouette de Ladune, a estupenda qualidade do nacional ‘Lírio’ com Leonor Valente, percursos de antologia realizados no 2º dia por Filipa Horta e Costa na sua ‘eterna’ Eva, a prova cheia de intuição e querer do ‘pequeno’ Francisco Guedes na 2ª classificativa e a regularidade absoluta do vencedor Silva Pinto com o difícil e imprevisível ‘Girassol de Cevedais’. Foi sem dúvida o merecido vencedor deste Campeonato, embora o ‘eterno’ 2º, António Duarte Santos, também merecesse o repto de campeão.A surpresa para muitos, mas não para mim, no 3º lugar, foi Luís Pinto Leite, que bem gostaríamos de ver entrar fardado como aluno do Colégio Militar, e que bem justifica, com os seus progressos, a acção bem vincada de Luís Xavier de Brito.Estas palavras são de facto um elogio a este verdadeiro pedagogo e homem de cavalos, que na sua modéstia e seriedade a tantos e tantos alunos se tem dedicado de alma e coração.E para finalizar, não devo deixar de citar o triste espectáculos que foi a saída do campo após as provas do 2º dia e a actuação no 3º dia de provas de um cavalo ‘perdido de manco’, facto constatado por todos os presentes no hipódromo e ‘teimosamente’ ignorado pelo veterinário de serviço. Porque razão esta entidade ignorou tal sucedido? É a incógnita que todos gostaríamos de ver esclarecida…