Protocolo FEI para o regresso das competições internacionais

Protocolo FEI para o regresso das competições internacionais

A Federação Equestre Internacional publicou um protocolo para o regresso das competições internacionais a partir de 1 de Julho de 2020.

A FEI publicou a sua Política de Segurança Reforçada da Concorrência durante a pandemia Covid-19, destinada a ajudar as Comissões Organizadoras e Federações Nacionais a retomarem em segurança os eventos equestres internacionais, em conformidade com as restrições nacionais.

A Política aplicar-se-á a todos os eventos FEI realizados a partir de 1 de julho de 2020 e foi implementada para limitar o risco de transmissão e propagação do Covid-19 até que esteja disponível um tratamento e/ou vacina eficazes determinados pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

Desenvolvida pelo Presidente do Comité Médico da FEI, Dr. Mark Hart, juntamente com a FEI, a Política exige que as Federações Nacionais e organizadores realizem uma Avaliação de Risco para determinar se é seguro organizarem os seus eventos. A política inclui recomendações gerais de boas práticas para os organizadores e deve ser implementada em conjunto com quaisquer requisitos impostos pelas autoridades nacionais. Além disso, a orientação específica da disciplina será emitida em breve pela FEI.

A política destina-se a ser utilizada em conjunto com os seguintes documentos da OMS:

Considerations for sports federations/sports event organizers when planning mass gatherings in the context of Covid-19; Mass Gathering Sports Addendum Risk Assessment; e a Decision Tree.

É obrigatório que os organizadores de eventos da FEI realizem a avaliação de risco em conjunto com a sua Federação Nacional, com o governo e as autoridades de saúde pública do seu país. Os eventos para os quais a FEI não tenha recebido o plano de avaliação de risco e medidas de mitigação concluídos serão retirados do Calendário FEI.

“O Covid-19 causou uma enorme perturbação no Calendário FEI e nos eventos nacionais, com um enorme impacto em todos os participantes dos desportos equestres”, disse o Dr. Mark Hart. “Estamos todos juntos nisto e esta pandemia vai ficar connosco pelo menos 12 a 24 meses. Temos de nos adaptar a um “novo normal” à medida que avançamos.

“A FEI está empenhada em ajudar as Federações Nacionais e as Comissões Organizadoras da FEI, disponibilizando recursos para avaliar eficazmente os riscos potencialmente colocados pelos eventos a partir da fase de planeamento e a mitigar esses riscos através de medidas relevantes.

“À medida que antecipamos o retorno gradual das competições, devemos de fazer tudo o que estiver ao nosso alcance para mitigar o risco de transmissão e de propagação da Covid-19. Esta é uma questão de saúde pública, e é também como um desporto pode demonstrar às autoridades públicas que está pronto para retomar a atividade.”

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 217 mil mortos e infetou mais de 3,1 milhões de pessoas em 193 países e territórios.

Perto de 860 mil doentes foram considerados curados.

 

Categorias: Internacional, Notícias