Itália candidata a receber 6 Campeonatos do Mundo em 2022

Itália candidata a receber 6 Campeonatos do Mundo em 2022

Centro Equestre de Santa Barbara de Bracciano

Enquanto a Federação Equestre Internacional abria o prazo para a apresentação de candidaturas para acolher os Campeonatos do Mundo em 2022, a sua homologa italiana de imediato mostrou interesse em receber seis das oito disciplinas reconhecidas.

A semana passada, a FEI abriu oficialmente o prazo para a apresentação de candidaturas para acolher os Campeonatos do Mundo de 2022. Recordamos que, devido ao mau funcionamento e as consequentes numerosas queixas sobre os Jogos Equestres Mundiais de Tryon em 2018, a FEI anunciou que em 2022 as oito disciplinas, não teriam lugar no mesmo local.

Poucos dias depois, a Federação Equestre Italiana apresentou a sua candidatura, propondo-se a organizar os Campeonatos do Mundo de saltos de obstáculos, concurso completo, dressage, paradressage, volteio e reining, excluindo a atrelagem e a resistência equestre. Em virtude da grande polémica com as provas de raides em Tryon, e tratando-se de uma disciplina que requere o máximo rigor, logística complexa, bem como um piso impecável, não é surpreendente que a Itália não se tenha oferecido para acolher esta disciplina.

Segundo a Federação Italiana, o Centro Equestre de Santa Barbara de Bracciano, situado a sessenta quilómetros a Noroeste de Roma, poderia acolher a maioria das disciplinas. Com uma extensão de mais de 180 hectares, dispõe de cinco pistas cobertas, três exteriores, uma pista de polo, 300 boxes permanentes e capacidade para 1000, uma clinica veterinária, um lago, três restaurantes, assim como outras comodidades. Foi neste local que decorreu o concurso completo e a atrelagem durante os Jogos Equestres Mundiais de Roma em 1998. O concurso completo podia realizar-se no Centro Equestre Federal Ranieri de Campello, a quarenta e cinco quilómetros a Sueste de Roma.

“Agora aguardamos que a FEI indique os requisitos mínimos bem como a viabilidade financeira do evento”, comentou Marco di Paola, presidente da Federação Equestre Italiana.

Fonte: FISE AQUI

Categories: Internacional, Notícias