Células Mesenquimais para tratar lesões articulares…

Células Mesenquimais para tratar lesões articulares…

Avanços na Medicina Veterinária

No centro de investigação de Ortopedia Equina da Universidade do Colorado (Fort Collins), chefiado pelo Dr. Wayne McIlwraith, têm sido utilizadas técnicas inovadoras, tal como a implantação de células mesenquimais indiferenciadas, para tratar algumas lesões. É possível tratar lesões graves de uma forma que permite que os cavalos de competição regressem ao desporto da melhor forma. É notório o progresso na medicina ortopédica para equinos.

A UC encontra-se entre os pioneiros no uso de métodos revolucionários no tratamento de lesões articulares – ligamentos, tendões ou fracturas de ossos em equinos. Uma amostra pequena de tecido contendo células mesenquimais indiferenciadas é recolhida da medula óssea (normalmente da anca do cavalo) e depois transformada em células mesenquimais indiferenciadas purificadas. As células mesenquimais indiferenciadas purificadas são injectadas no local da lesão.

Sabe-se que as células mesenquimais indiferenciadas são atraídas pela lesão cartilagínea e concentram-se no local da lesão para ajudar a reparar os danos. Tem-se observado que esta terapia funciona bem em certo tipo de lesões. Contudo o tratamento é recente e apesar do progresso dos pesquisadores na sua aplicação a terapia está longe de ser perfeita. Por exemplo, por vezes este tratamento tem reacções do sistema imunitário. No entanto é possível que esta nova técnica seja, nos próximos anos, o método de tratamento para lesões graves em equinos.

Além da terapia com células mesenquimais indiferenciadas, o Centro Ortopédico da Universidade dedica-se à investigação de outro método de tratamento para articulações. IRAP (Interleukin-1 Receptor Antagonist Protein Procession System), ou Sistema de Processo de Proteína Antagonista do Receptor Interleukina-1, é uma substância que bloqueia a produção excessiva de líquido sinovial em articulações afectadas por osteoartrite. O líquido sinovial contem uma proteína conhecida como Interleukina-1 que tem um papel preponderante no processo inflamatório e acelera a deterioração do tecido articular.

O tratamento funciona tirando uma amostra de sangue do cavalo lesionado e incubando o mesmo durante 24 horas dentro de uma seringa contendo várias substancias que contribuem para o processo de regeneração, tais como factores de crescimento e anti-inflamatórios. A amostra é depois centrifugada para separar e remover os glóbulos vermelhos. A solução resultante é então injectada na articulação lesionada encorajando o processo de cicatrização. Normalmente o procedimento é repetido 3 a 5 vezes. Este tipo de tratamento reduz a susceptibilidade do animal a infecções e a reacções imunológicas porque a solução é derivada do sangue do próprio cavalo.

O tratamento com IRAP parece ser bem sucedido no tratamento de lesões articulares avançadas e que não responderam a outros tipos de tratamento, incluindo as infiltrações com corticosteróides.

Categorias: Maneio, Notícias