A cavalo ou de charrete, não há pó que trave os romeiros da Senhora d’Aires

A cavalo ou de charrete, não há pó que trave os romeiros da Senhora d’Aires

Neste 25 de Abril, dia da liberdade, centenas de romeiros vão fazer-se à estrada, da Moita até Viana do Alentejo, para a 18ª edição da Romaria a Cavalo.

O dia é de grande significado para o país, mas o 25 de Abril é, também, para centenas de romeiros devotos de Nossa Senhora d’Aires, o dia em que partem da Moita rumo a Viana do Alentejo, onde este ano chegarão dia 28, pelas 17h00.

“Não há em Portugal outra romaria com estas características e desta dimensão”, afiança à Renascença o presidente da câmara municipal de Viana do Alentejo, Bengalinha Pinto.

Por caminhos de terra batida, a cavalo ou de charrete, o percurso de 150 quilómetros pela antiga Canada Real, ou Estrada dos Espanhóis, tem início esta quarta-feira, junto à Igreja de Nossa Senhora da Boa Viagem, na Moita, e termina no Santuário de Nossa Senhora d’Aires, em Viana do Alentejo, passando por várias localidades, entre as quais Alcáçovas, que servirá de pernoita no dia 27.

Nesta edição, a 18.ª, são esperados à chegada a Viana do Alentejo mais de mil cavalos e três mil romeiros.

“Nós somos um pequeno concelho e este evento é de grande importância também para a nossa economia, uma vez que traz muita gente”, afiança o presidente do município alentejano que, para receber os muitos visitantes esperados durante o fim de semana, preparou um programa cultural que arranca no dia 28.

À animação de rua em vários locais da vila juntam-se a olaria e os chocalhos ao vivo, bem como os espetáculos que vão dar vida à Tenda Tradições, instalada junto ao Santuário de Nossa Senhora D’Aires. O encerramento da Romaria a Cavalo está marcado para as 16h00 de domingo, dia 29.

A parte cultural é um complemento à parte religiosa que encontra nesta romaria um grande significado. Retoma uma tradição antiga, quando os lavradores da Moita se deslocavam ao Santuário de Nossa Senhora d’Aires para benzer os animais e pedir boas colheitas.

“A vertente religiosa dá sentido a esta romaria e por isso queremos mantê-la bem viva, mas também proporcionando aos romeiros e a quem nos visita outros motivos de interesse e convívio”, explica Bengalinha Pinto.

O programa religioso contempla uma primeira procissão em honra de Nossa Senhora d’Aires pelas ruas da vila, no dia 28, às 21h00, e uma outra que liga a Igreja Matriz ao Santuário, esta já no dia 29, seguindo-se uma missa campal, a partir das 10h00.

Este ano, o município decidiu promover paralelamente a exposição “Romaria no Barro”, alusiva precisamente à Romaria a Cavalo, com cerca de 400 peças em barro, entre taças, saladeiras e ferraduras respeitantes a motivos equestres e ao património.

Os trabalhos foram realizados por alunos de um curso de oleiro, no âmbito de uma parceria entre a autarquia e o Instituto de Emprego e da Formação Profissional. A técnica da pintura tradicional e a técnica do riscado do barro ligam a tradição cultural e religiosa à arte de trabalhar o barro.

A mostra poderá ser visitada até dia 19 de maio no antigo posto de turismo de Viana do Alentejo, com o valor das vendas a reverter para a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários do concelho.

A Romaria a Cavalo é promovida, uma vez mais, por uma comissão organizadora constituída pelas câmaras da Moita e Viana do Alentejo, pela Associação dos Romeiros da Tradição Moitense e pela Associação Equestre de Viana do Alentejo.

Fonte: Rádio Renascença