“Quanto ganhará Portugal quando houver corridas de cavalos?”

“Quanto ganhará Portugal quando houver corridas de cavalos?”

Santana Lopes manifesta-se, mais uma vez, contra “proibicionismos” como acabar com as corridas de galgos no país.

O Parlamento rejeitou esta terça-feira os diplomas do PAN e do Bloco de Esquerda que pretendiam proibir as corridas de galgos. PS, PSD, CDS, PCP votaram contra as iniciativas dos dois partidos, considerando tratar-se de um “proibicionismo”.

Na mesma linha, Pedro Santana Lopes manifestou a sua posição em relação ao tema, trazendo outro exemplo a debate: as corridas de cavalos.

“O PAN e o Bloco quiseram proibir corridas de animais. Falou – se das corridas de galgos – que não conheço – mas referem, também, as corridas de cavalos. Discordo totalmente desse proibicionismo”, posiciona-se o fundador da Aliança.

Santana questiona quanto ganhará Portugal quando houver corridas de cavalo, quer em investimento externo, quer em emprego e em turismo. “França será selvagem? O Reino Unido também?”, pergunta, rematando: “Não há mais paciência para esta conversa”.

Recorde-se que recentemente o antigo social-democrata abordou o tema da tauromaquia numa carta dirigida aos militantes da Aliança, defendendo referendos locais sobre o fim destes espectáculos, o que foi confundido com uma mudança de opinião sobre o tema. Santana Lopes voltou a falar do assunto para clarificar ser contra a proibição das touradas, algo que faz parte da cultura portuguesa, ressalvando que “deve ser respeitado quem aprecia e quem não aprecia a tauromaquia”.

Fonte: Notícias ao Minuto

Categorias: Actualidade, Artigos