Personalidade do Mês: Nick Skelton

Personalidade do Mês: Nick Skelton

Por Cristiana Oliveira.

Durante a sua breve estadia em Portugal, aquando da sétima etapa do Longines Global Champions Tour, o cavaleiro olímpico britânico, de 55 anos, Nick Skelton, concedeu uma entrevista exclusiva ao Equisport, na passada sexta-feira, (06/07/2013).

Nick Skelton (Big Star) nº 5 do Ranking Mundial da FEI, começou a montar a cavalo com 18 meses de idade. No seu currículo, Nick representou a Grã-Bretanha em sete Jogos Olímpicos (contando os Jogos Olímpicos alternativos em 1980), ganhou cinco campeonatos do Mundo e dez medalhas em Campeonatos da Europa de Saltos e, actualmente, detém o recorde britânico saltando 2,31m na potência do Olympia em 1978. Representou a Grã-Bretanha em 168 Taças das Nações e mais recentemente, foi premiado com um OBE (Order of the British Empire) pelos seus serviços ao desporto equestre em Junho de 2012, após a conquista da medalha de ouro por equipas nos últimos Jogos Olímpicos de Londres.

Equisport: Depois de uma semana intensa em Aachen e dos excelentes resultados obtidos com o garanhão Big Star, fale-nos mais sobre o seu cavalo Big Star, um garanhão de 10 anos de idade com 1,67m e como tem corrido esta época.

Nick Skelton: Tem sido uma temporada fantástica, tudo começou em La Baule, onde o Big Star saltou um duplo sem faltas na Taça das Nações (CSIO5 *), seguida da nossa vitória no Grande Prémio de Roma (CSIO5 *), e depois em Londres, onde fomos 2º no Grande Prémio do Longines Global Champions Tour e agora em Aachen com a vitória. Big Star é um cavalo fantástico e estou muito feliz em tê-lo.

Foto: Nick Skelton / Big Star

EQ: Quais são as suas expectativas para esta 7ª etapa do Longines Global Champions Tour do Estoril?

Nick Skelton: Para nós, depois de Aachen, talvez seja um pouco cedo demais vir a esta etapa do GCT, Aachen foi bastante extenuante, duas grandes provas em Aachen, duas mãos e uma barrage e agora Estoril… Eu montei esta manhã (sexta-feira) e senti-o um pouco cansado, mas vamos ter que ver o que acontece amanhã, considerando, também, o intenso calor que se tem feito sentir nestes dias. De qualquer forma, a questão do calor será a mesma para todos os cavalos…

EQ: Todos os cavaleiros procuram o triunfo, no entanto, cavaleiros como Christian Ahlmann (1º), Laura Kraut (2ª) ou Edwina Tops-Alexander (3º) irão lutar para manter seus pontos e o seu lugar no ranking GCT. Com base na sua experiência em Aachen com os recentes percursos desenhados por Frank Rothenberger (Alemanha), o que podemos esperar do Grande Prémio aqui no Estoril?

Nick Skelton: Não vai ser fácil, eu antecipo duas mãos e uma barrage difíceis e extenuantes, algo como Aachen, talvez…

EQ:  Num plano mais pessoal, conte-nos um pouco mais da vida do dia-a-dia de um cavaleiro que quase se retirou em 2000, para voltar e fazer história ao vencer a medalha de ouro por equipas nos Jogos Olímpicos 2012 em Londres, receber o OBE de Sua Majestade, a Rainha de Inglaterra, conquistar um 2º lugar no GP do GCT Londres este ano e, mais recentemente, ganhando o GP do CHIO de Aachen. Por favor, fale mais de si, Nick Skelton.

Nick Skelton: O meu trabalho é árduo! Não monto tantos cavalos por causa das minha coluna. Levanto-me todas as manhãs bem cedo, pois há muitos cavalos para serem montados, muitos alunos para treinar, entre os quais, Jessica Springsteen. É realmente um trabalho muito duro, temos cerca de 40 cavalos estabulados e em competição. Laura (Laura Kraut) ajuda e assim como os meus filhos que vivem perto de casa.

EQ: Qual o seu conselho para os jovens cavaleiros de hoje?

Nick Skelton: Se quiserem estar neste desporto, devem estar preparados para trabalhar muito duro, e nunca desistirem!  Eventualmente, vão conseguir! Façam perguntas ao tentar resolver os problemas que surgem enquanto estão a montar. Trabalhem muito e fiquem felizes com as pequenas conquistas, tomem o vosso tempo e, se não funcionar à primeira, continuem a tentar! O meu melhor conselho: Nunca desistam!

EQ: Já esteve no GCT do Estoril em três ocasiões, em 2010, montando Carlo 273 e em 2008 e 2007 com o Arko III. Sendo o Estoril um destino turístico, qual é a sua opinião sobre Portugal como destino turístico para os cavaleiros?

Nick Skelton: Eu realmente gosto de vir a Portugal, e particularmente dos concursos que se organizam por cá. Gosto especialmente desta pista aqui no Estoril, para além o tempo… talvez um pouco quente este ano, mas sei que todos os cavaleiros estão apreciar muito esta etapa do GCT.

Foto: Nick Skelton e Cristiana Oliveira

Categorias: Artigos, Saltos