Londres 2012: Luciana Diniz na Final e Inglaterra leva o ouro por equipas

Londres 2012: Luciana Diniz na Final e Inglaterra leva o ouro por equipas

Texto: Margarida Ferreira Neves

Foi com muita ansiedade e esperança que os portugueses aguardaram pela participação de Luciana Diniz na prova desta segunda-feira, pois esta seria determinante no seu acesso à Final de Saltos de Obstáculos dos Jogos Olímpicos de Londres.

O Director de Pista Bob Ellis esteve, uma vez mais, soberbo nas suas funções e delineou um percurso magnífico, mas deixando sinal que as dificuldades começaram agora e que os finalistas terão certamente que enfrentar percursos de grande recorte técnico e dificuldade acrescida.

A comprovar isto, tivemos a altura dos obstáculos e a exigência das distâncias que hoje se apresentaram mais selectivas, resultando em apenas seis percursos sem faltas nesta jornada.No entanto e dentro da linha que Bob Ellis parece ter traçado para o desenho dos percursos, as dimensões dos saltos começaram a ser determinantes nos resultados, tal como é o caso do triplo, composto de um oxer, seguido de outro oxer a duas passadas e terminando com um vertical a uma passada, que se apresentou “gordo”, mas mesmo gordo, tal como se diz na gíria equestre!

Também havia que apurar a monte na linha da vala, condicionada esta, a um oxer a 5 passadas e seguida de um vertical a 6 passadas sempre em franco galope, sucedendo o mesmo entre o salto 9, um duplo que teria na sua sequência um vertical a 4 “senhoras” passadas ou com a linha final com início num vertical e terminando a  5 trancos fortes!Voltando a Luciana Diniz, podemos afirmar que estamos na presença de uma grande cavaleira, com recursos técnicos extraordinários e dotada de uma frieza impressionante, mas não menos determinação, factores estes que levaram a que conseguisse ir subindo na escala de valores percurso a percurso, até conseguir nesta segunda-feira, classificar-se para a Final com 12 pontos acumulados.

Houve no entanto no 2º obstáculo desta prova uma hesitação por parte de Lennox, com uma saída algo em falso e efectuando grandes habilidades para não derrubar, mas a sorte também conta nestas questões e seria o azar a tocar à porta do Lennox ao não conseguir cobrir na totalidade a vala de água e como tal dando origem a uma falta, o que aconteceu a uma boa parte dos conjuntos!

Mas tristezas não pagam dívidas e a realidade é que mesmo com estes 4 pontos Luciana Diniz conseguiu carimbar o passaporte para a final, após muitos e muitos anos em que a presença de cavaleiros portugueses numa final olímpica não se fazia sentir, objectivamente desde Seul (1988), onde Manuel Malta da Costa montando o famoso Jalisco conseguiu chegar à discussão dos lugares cimeiros!Tudo está em aberto pois na final, com acesso aos melhores 34 conjuntos, curiosamente com apenas 4 mulheres participantes, partem todos a “zero”, surgindo de novo a possibilidade do conjunto português alcançar uma boa classificação e não nos admiraria absolutamente nada, não só pela segurança demonstrada por esta cavaleira, bem como pela sua tenacidade em melhorar dia a dia a sua prestação.

Quarta-feira teremos todos que apoiar a Luciana Diniz e Lennox. Neste dia, a “final” será disputada em 2 mãos. Na primeira (12h00 às 13h30) serão apurados os 20 melhores classificados que terão acesso à final (14h45 às 16h05), e por fim será o momento de determinar quem conquista o pódio!!Mas por falar em pódio temos que felicitar a Inglaterra que após interessante luta com a Holanda, numa acesa barrage da prova de ontem (2ª feira), conquistou a Medalha de Ouro por equipas, enquanto aos Holandeses coube a de Prata e de forma surpreendente e com alguma surpresa, mas com todo o mérito, a Arábia Saudita alcançou a Medalha de Bronze!

Destaque-se na equipa inglesa a prestação de Nick Skelton, que saiu em primeiro lugar na barrage para efectuar um magnífico zero com excelente tempo, conseguindo assim o seu 4º percurso sem faltas nestes Jogos Olímpicos, apresentando-se como o mais forte candidato ao título olímpico, no caso de Luciana Diniz o “permitir…”

Terça-feira (hoje) é outro dia importante para o desporto equestre português, que por fim começa a merecer atenção por parte da comunicação social, pois Gonçalo Carvalho com Rubi irá discutir a sua presença na final da disciplina de Dressage ao efectuar neste dia o Grande Prémio Especial!

Categorias: Artigos, Saltos