Dica do Mês – Cólica ou Diarreia?

Dica do Mês – Cólica ou Diarreia?

Texto: Dr. Henrique Moreira da Cruz

Um cavalo pode ter cólica sem ter diarreia; diarreia sem ter cólica; ou ter cólica e diarreia ao mesmo tempo. Tudo depende da causa…O termo cólica é definido como uma dor abdominal. Não indica a causa, localização (órgão) ou fonte da dor abdominal.

O termo diarreia é definido como passagem de fezes com um teor elevado de água.Existem muitos tipos de cólicas e também muitas causas. Alguns exemplos incluem úlceras gastrointestinais, disbiose (distúrbio no equilíbrio da flora intestinal), timpanismo (distensão com gás de uma parte do intestino), obstrução/impactação, torção ou deslocação do intestino; hérnias, presença de corpos estranhos, parasitas, toxinas, medicamentos, infecções (bacterianas, víricas ou fúngicas), espasmos intestinais, entre outros.De igual modo, também existem muitas causas possíveis para a diarreia, tais como úlceras, disbiose, inflamações intestinais, parasitismo, toxinas, infecções (bacterianas, víricas ou fúngicas), efeitos secundários de alguns medicamentos( como antibióticos e anti-inflamatórios, cancro, etc.

Perante o exposto, podemos verificar que dois síndromes distintos podem ocorrer ao mesmo tempo, podendo ou não ter a mesma causa.

Alguns casos, tanto de cólica como de diarreia, podem ter resolução espontânea não necessitando de tratamento, enquanto outros requerem tratamento médico e/ou cirúrgico para salvar o animal. Alguns casos põem tornar-se crónicos e afectar seriamente a saúde do cavalo, podendo mesmo resultar na morte.Os cuidados preventivos são a melhor opção. Procure dar sempre ao seu cavalo uma ração e feno de qualidade. A qualidade da água e do pasto também não devem ser descuidadas. Procure monitorizar e controlar os níveis de infestação parasitária. Garanta que o cavalo tem sempre os dentes em bom estado através de exames frequentes. Tente limitar o uso de medicamentos para aqueles casos em que é estritamente necessário.

Se o seu cavalo tiver uma cólica ou diarreia contacte o seu médico veterinário para se aconselhar. Há situações em que a administração de um analgésico não–esteróide pode ser recomendada para resolver o problema. A maior parte dos veterinários recomenda andar com o animal à mão para estimular a motilidade intestinal e tampe para evitar que o animal se auto-traumatize enquanto se esponja na boxe devido às dores. Por vezes uma simples viagem em camião ou atrelado pode também ter o efeito de por os intestinos a funcionar e aliviar a dor abdominal.

01/11/2011

Categorias: Artigos, Maneio & Técnica