Campeões de Portugal de Saltos de Obstáculos 2014

Campeões de Portugal de Saltos de Obstáculos 2014

Texto: Jorge Gouveia da Costa
Foto: Nuno Pragana

Na Sociedade Hípica Portuguesa, realizaram-se no passado fim-de-semana, os campeonatos Nacional da Juventude e o Campeonato de Portugal do Cavaleiro de Obstáculos, povoando o centenário Hipódromo do Campo Grande com a alegria de inúmeros cavaleiros jovens repletos de sonhos e vontade de alcançar o pódio.Houve luta e grande expectativa na competição nos mais diversos escalões da Juventude com a emoção a chegar ao rubro nas Finais de todas as competições, sendo a de pré-juniores a mais concorrida, com um total de 46 participantes.

O sucesso destes campeonatos deve-se não só aos cavaleiros, mas também aos arquitectos dos percursos, ou seja aos Directores de Pista Internacionais Lúcia Cabrita e Luís D’Orey. A Lúcia coube a responsabilidade de delinear os percursos desde os Iniciados até aos Juniores, e a Luis d’Orey, o desenho dos percursos de Jovens Cavaleiros e Seniores. Pode afirmar-se que desempenharam a sua função com grande capacidade profissional, permitindo uma competição à altura do que é exigido em Campeonatos Nacionais, contribuindo para um óptimo espectáculo desportivo.

Analisando a competição em si mesma, e começando pelos mais jovens, os Iniciados; Eram 10 conjuntos inscritos, número algo escasso para um escalão, onde existem centenas de cavaleiros nos inúmeros Centros Hípicos e Escolas de Equitação, que de Norte a Sul do País, vão aparecendo de dia para dia!

Naturalmente que este escalão está dependente da vontade, ou capacidade financeira dos pais dos cavaleiros em adquirirem cavalo próprio, no entanto trata-se de competições com alturas de obstáculos reduzidas, o mesmo sucedendo nos pré-juvenis, onde cabe perfeitamente a utilização de cavalos no fim de carreira em seniores ou o “nosso” Lusitano, tão belo de carácter e ideal para estas andanças. Não são necessários “aviões” que muitas das vezes estão acima das capacidades destes cavaleiros ou das possibilidades dos pais, os quais funcionam na carreira desportiva dos filhos como um “patrocínio “.

A final veio demonstrar que estes Campeonatos viveram grandes momentos de competitividade, já que para apurar os vencedores foi necessário chegar a um desempate entre Maria Silvestre Constantino com “Russel” e Francisco Costa Lopes com “Bethoven das Gaiolas”, já que ambos se encontravam em igualdade de pontuação para decidir o título, o qual veio a recair sobre a jovem Maria que conseguiu bater “em tempo” na barrage o percurso do também muito jovem Francisco. O terceiro lugar no pódio coube merecidamente ao ex-campeão de 2013, Simão Mesquita com uma montada de origem Lusitana, a ” Xica ”

Na final dos Pré-Juvenis tivemos duplo desempate, pertencendo a vitória a Catarina Ventura Magalhães montando “Vanessa”, conquistando assim o “ouro” no Campeonato enquanto Diogo Portela Mendes com “Suão” levaria a medalha de prata. O bronze na barrage para 3º e 4º coube a José Filipe Neto Rebelo com “Urah des Dames”, batendo o experiente Miguel Athayde com “Shakira”, que assim se viu afastado dos lugares de pódio !Nos Juvenis houve luta renhida, mas coube a Simão Silva Santos com “L’Alezan de Miravaux” conseguir a vitória no campeonato. O campeão de 2013, Sydney Roux com “Lucullus des Hayettes”, foi prata sendo o bronze entregue a João Prazeres Carvalho montando a “Casada S”.

Já nos Pré-Juniores assistimos a uma grande disputa até ao último momento, tornando muito interessante o desenrolar da prova deste escalão. A vencedora do campeonato foi Magda Morgado Soares com “BB da Famaguda “, sendo seguida no pódio por Filipa Alberty Raposo em “Zidane da Graciosa”. A medalha de bronze foi para Patricia Batista Ribeiro montando “Coyal”Nos Juniores apresentaram-se na primeira classificativa 13 conjuntos e na final viemos a encontrar um reduzido lote de participantes que poderiam dar a volta ao resultado em qualquer momento. Foi porém João Pereira Coutinho, um cavaleiro com importante rodagem internacional, que soube guardar com grande serenidade a vantagem que possuía e acabaria por se sagrar Campeão montando “Nelson du Biolay”, enquanto que, o igualmente experiente João Pedro Gomes com Fonka seria o segundo classificado. Para o “bronze” classificou-se Joana Rios de Oliveira, veterana dos Campeonatos da Europa de Children e Juniores, que aqui montou “Ballybur Don Clover”.

Nos Jovens Cavaleiros houve uma reduzida participação de 4 cavaleiros, justificado pelo facto de se tratar de um escalão em que as dificuldades das provas se aproximam muito das que se verificam nos Campeonatos de Seniores, quer em dimensão de obstáculos, quer na dificuldade técnica dos percursos.A vitória neste campeonato coube a Miguel Parreira do Amaral em “Wallona” que assim demonstrou cabalmente a sua fase ascendente de forma, sendo segundo classificado João Tomás Rodrigues que montou “Dicaletto Z”. O terceiro lugar ficaria deserto, já que o azar tocou à porta de dois cavaleiros: Ricardo Cabrera com “Bebetto Aragon”, viria a sofrer na final, duas recusas e como tal a eliminação, enquanto o nortenho Gonçalo Perdigão, seria vítima de uma queda.

Terminamos com o Campeonato Nacional de Seniores, que pela sétima vez entregou o título de campeã nas mãos de Marina Frutuoso de Melo, montando o soberbo ” Coltaire Z”! Um recorde fantástico e que face à carreira desportiva que ainda aguarda Marina, pode vir a ser largamente ultrapassado, tornando-se num marco histórico no desporto equestre internacional! Aliás, já o é, e não será por acaso, mas sem dúvida, por mérito e muito trabalho!A medalha de prata seria entregue a Luís Fernandes que montou “António”. Este jovem cavaleiro que há muito deixou de ser promessa para ser uma certeza, tem vindo a ter activa participação em inúmeras competições internacionais com assinalável êxito e que neste campeonato se apresentou com grande serenidade, demonstrando desde o princípio que estava presente em Portugal para lutar pelo título neste campeonato.

Ocupando o terceiro lugar do pódio esteve Alexandre Mascarenhas de Lemos com Wannahave. Cavaleiro com reconhecidos méritos, com uma carreira nacional e internacional quase veterana. Chegou à final com fortes possibilidades de alcançar a vitória, mas a “sorte passou ao lado” e os dez pontos de penalização nas duas mãos da final, levaram a que descesse para o terceiro lugar neste campeonato. Uma medalha de bronze suada mas merecida!

Resta dar os parabéns à FEP e à Sociedade Hípica Portuguesa pela excelente organização, assim como aos Directores de Pista Internacionais que elaboraram as provas, aos cavaleiros, aos treinadores, aos pais e a todos aqueles que fizeram com que este campeonato se tornasse num magnífico momento desportivo.Aguardemos agora pelos Campeonatos da Europa de Children, Juniores e Jovens Cavaleiros em Arezzo, Itália. O momento é de incentivar e acarinhar os cavaleiros seleccionados, desejando sorte ao seleccionador e chefe de equipa, Miguel Viana. Momento para sonhar com grandes feitos e vitórias!

Resultados completos AQUI

Categorias: Actualidade, Artigos