Grande Prémio de Portugal no Hipódromo da Maia

Grande Prémio de Portugal no Hipódromo da Maia

Maior evento desportivo do fim-de-semana na Área Metropolitana do Porto começa esta sexta-feira, mas o grande dia será na tarde de domingo. Mais de 50 cavalos disputarão as provas, em representação de 31 quadras nacionais e estrangeiras (equipas).

A nível global esta é uma indústria importante, tendo mais de mil milhões de seguidores deste desporto e transferências que chegam aos 170 milhões de euros, superando os desportos tradicionais.

Em Portugal dá os primeiros passos e promete alavancar a Economia com milhares de empregos e receitas em apostas. Domingo há boas razões para visitar o bonito Hipódromo Municipal da Maia. A Entrada é grátis.

É já na tarde do próximo domingo, dia 9 de setembro que o Hipódromo Municipal da Maia recebe o Grande Prémio de Portugal de Corridas de Cavalos a Trote e Galope, o maior evento desportivo do fim-de-semana na área Metropolitana do Porto. A meteorologia aponta para um dia solarengo, com temperaturas na ordem dos 24º, ótimo para a prática desportiva.

Esta iniciativa faz parte de um programa equestre que começa às 21h de sexta-feira, com a exposição de fotografia “CEM – Momentos Equestres”, que estará patente no Maia Welcome Center – Posto de Turismo da Maia, continua no sábado, durante todo o dia, com provas de obstáculos /saltos e termina no domingo com a manhã destinada ao “Batismo Equestre”, onde as crianças terão a primeira oportunidade de montar um equino, e à tarde, o Grande Prémio de Portugal de Trote e Galope.

O Grande Prémio deste ano, organizado pela Câmara Municipal da Maia, Centro Equestre da Maia e Liga Portuguesa de Criadores e Proprietários de Cavalos de Corrida/Liga Portuguesa de Trote e Galope, tem 50 cavalos inscritos, em representação de 31 quadras (equipas) e prémios na ordem dos 10.000 Euros, valor muito elevado para Portugal. Com 7 Mangas (corridas) em disputa, três serão da especialidade

Trotador Francês e quatro de Galope, nas quais se incluem as duas onde se apurará o vencedor do Grande Prémio de Portugal em trote e em galope.

1ª Manga – Trotador Francês – 2300m

Espanhol “Ravanello” é favorito.

Para a primeira prova do dia, em Trote, numa distância de 2300m, estão inscritos 8 equinos de 7 quadras. “Ravanello”, cavalo de 13 anos, da quadra espanhola “Cousiño”, conduzido por Carlos Cousiño, é o favorito com 64,4 pontos e 100 euros de prémios arrecadados este ano. “Quebir de Leau” da quadra “Casa Nova”, conduzido por Erika Urrila e “Destry Gaby” da quadra “Gémeas Leite”, serão os grandes desafiadores com respetivamente, 43,2 e 41,6 pontos este ano.

2ª Manga – Galope – Puro Sangue Inglês (Nascidos em Portugal) – 1650m

“Irís” quer assegurar liderança.

A primeira prova do dia em galope, tem 6 inscritos de 5 quadras. O favoritismo aponta para “Irís”, uma égua de 5 anos, da quadra “Manuel Lima”, montada por Luís Fonseca que já amealhou este ano 830 euros

em prémios e 255,9 pontos, quase o dobro da concorrência. Destaque para “Favorite Girl”, quadra “Carlos Alves” e “Lenda da Torre” da quadra “Agro Carvalho” que tem, respetivamente a segunda e terceira melhor performance do ano.

3ª Manga – Trotador Francês – GP PORTUGAL – 3000m

Sérgio Oliveira (Pec Nature) desafia espanhóis

A principal prova de trote do dia, tem 7 inscritos de 5 quadras. “Vendredi de Loisel”, um cavalo de 9 anos, da quadra “Pec Nature”, conduzido por Sérgio Oliveira já arrecadou 3.180 euros este ano, mas apenas 409,3 pontos face ao grande rival “Quarass Rose”, da quadra espanhola “J. Alvarez”, conduzido pelo próprio J. Alvarez, que lidera nos pontos com 466,9. Ainda perto da casa dos 400 pontos estão “Telfanto de Coudde” da quadra “Jardins Acúrcio”, conduzido por A. Peixoto e “Senior Justice” da quadra “Mustang” também eles sérios candidatos ao título.

4ª Manga – Galope – Puro Sangue Inglês – GP PORTUGAL – 2400m

A “Liga dos Campeões” dos cavalos

Provavelmente a prova mais esperada do dia, tem 8 inscritos de 7 quadras. “Jasmine”, égua de apenas 4 anos, da quadra “Quinta das Figueiras”, montado por Filipe Vaz, com 80 pontos e 2.370 euros arrecadados, detém o maior valor monetário do ano, no entanto “First Cornilliere” da quadra “Pereira Joker”, montado por Luís Fonseca, lidera nos pontos com 177,6, pouco mais que os 158,8 pontos de “Nemesia Jode” da quadra “Quinta dos Ângelos”, montado por Paulino Oliveira que tem a melhor relação pontos/euros do ano (distâncias maiores ou iguais a 1800m). Atenção também para o segundo cavalo da “Quinta dos Ângelos”, “Strange Light” e para “Dr. Thibault” da quadra “Paulo Abreu” que tem performances muito interessantes. Quem ganhará o Grande Prémio?

5ª Manga – Trotador Francês – 2300m

“Maia Lidador” quer vencer em casa.

A segunda prova de trote do dia na mesma distância, volta a encher a grelha de partida com 8 equinos de outras tantas quadras. “Sapolino”, cavalo de 12 anos, da quadra “Jardins Acúrcio”, conduzido por A. Peixoto, tem as melhores performances do ano com 379,4 pontos e 2.080 euros arrecadados. “Palio Gede”, da quadra “Fernando Ferreira”, montado por Fernando Ferreira, aposta a sua participação no trote, apenas nesta prova que quer vencer. “Buzz du Net”, da quadra “Maia Lidador Trotting”, conduzido por F. Martins, a disputar a prova em casa, será outro dos grandes desafiadores.

6ª Manga – Galope – Puro Sangue Inglês – 1650m

Quinta das Figueiras desafia os mais novos

Mais uma prova com o Starting Gate (portal de automático de saída) cheio. 8 Equinos à partida, em representação de 7 quadras. “Borysthene”, cavalo com 10 anos, da quadra Quinta das Figueiras, montado por Filipe Vaz, é favorito com as melhores performances do ano, a saber 125,7 pontos e 430 euros arrecadados. O grande adversário será “Wanabaa Sim” da quadra “Fernando Ferreira”, montado por D. Ferreira e “Mirlo” da quadra “Manuel Ferreira da Silva”, montado por C.Lima, ambos com 240 euros de ganhos e respetivamente 79,6 e 64 pontos.

7ª Manga – Galope – Puro Sangue Árabe – 1250m

“Videirinha” vai tentar reinar em “terras” espanholas.

A última prova da tarde terá início às 18:50h. À partida no Starting Gate estarão 5 equinos em representação de 3 quadras, sendo apenas uma portuguesa. O favorito será a égua “BJ Retama”, da

quadra espanhola “Corbacho”, montado por L. Corbacho, que chega a esta prova com 150,6 pontos. A intrometer-se na luta entre os nossos vizinhos está “Haddar”, da quadra “Videirinha”, montado por Z. Gonçalves que com 132,3 pontos, que tem a segunda melhor performance do ano. Também da quadra “Corbacho”, a égua de 14 anos “Kuriosa del Cega”, irá tentar mostrar os dotes de campeão.

Corridas de Cavalos em Portugal e no Mundo

As Corridas de Cavalos em Portugal, apesar de, diz-se, remontarem à fundação da nacionalidade, apenas há cerca de meia dúzia de anos conheceram um forte impulso, com o governo a legislar sobre a matéria, nomeadamente as Apostas Hípicas Urbanas, que preveem a construção de raiz de três grandes hipódromos, a Norte, ao Centro e a Sul.

Na realidade mundial, este é considerado por muitos, o maior desporto do mundo, havendo competições nos mais variados pontos do globo, com especial destaque para Médio Oriente, Oriente, Américas, Oceânia, África e naturalmente Europa. Em termos europeus, as Corridas de Cavalos representam, por exemplo, a maior indústria da Irlanda; em França, a segunda maior, logo a seguir à importante indústria automóvel, e fortes raízes em quase todos os países europeus. A título de exemplo, temos o cavalo “Frankel” idolatrado como o melhor do mundo, que custou 167 milhões de euros. Já retirado, Frankel, rendeu ainda 16 milhões de euros no seu primeiro ano como dador de sémen, tendo em lista de espera mais de 200 éguas. Cada filho tem um valor estimado superior a 1 milhão de euros.

Não sendo modalidade olímpica, as Corridas de Cavalos, contam com cerca de mil milhões de espectadores em todo o mundo, como o prova a cobertura mediática do Grande Prémio “Arc de Triomphe”, em França, prova de referência, seguida em mais de 200 países, onde estão acreditados mais de 600 jornalistas de todo o mundo. Nesta prova “rainha” competem mais de 200 cavalos, em 16 corridas e distribui 9,4 milhões euros em prémios.

Em Portugal, depois de décadas de luta contra a legislação de 1957, que vigorou até há cerca de três anos, a indústria das corridas de cavalos aguarda a construção de novos hipódromos previstos na Lei, que darão origem às Apostas Hípicas Urbanas, prevendo-se a criação de milhares de empregos diretos e indiretos e elevadas receitas para o Estado, numa nova atividade que Portugal tem condições para fazer crescer.

Fonte: JNM

Categorias: Corridas, Notícias