Actividades em curso na Golegã

Actividades em curso na Golegã

Nesta quinta-feira o largo do Arneiro, na Golegã, registou uma presença assinalável de cavaleiros, amazonas e charretes, por ocasião da Feira Nacional do Cavalo. Por outro lado, o gosto pelo mundo equestre também atrai milhares de visitantes nacionais e estrangeiros que fazem questão em participar na festa da Capital do Cavalo.

No que diz respeito ao desporto equestre, teve lugar o concurso de dressage nacional e a prova de equitação à portuuesa, na quinta de S. António.

Já ao final da tarde, o Picadeiro Lusitanus encheu para receber a apresentação de coudelarias de sócios e o picadeiro central acolheu a final do campeonato nacional de derby e a prova A de equitação à portuguesa.

Por outro lado, decorreram também jornadas Agrotejo/Agromais e o encontro “Panorama equestre nacional”, no auditório do Equuspolis.

Estas jornadas foram organizadas pela Agrotejo, uma associação que está a comemorar o 20º aniversário e integra cerca de 600 agricultores do norte do distrito de Santarém. Entre os principais projectos da Agrotejo, destacam-se o emparcelamento agrícola e rural, a electrificação colectiva dos espaços agrícolas e rurais e a formação dos associados.

PANORAMA EQUESTRE NACIONAL – QUE FUTURO?

Já durante a tarde, o auditório do Equuspolis foi o palco do encontro “Panorama equestre nacional – Avaliação, debate e perspectiva”, um debate marcado pela presença de muitos cavaleiros e criadores de cavalos.

O presidente da Câmara Municipal da Golegã, Veiga Maltez, abriu a sessão desejando que fossem encontradas propostas para o desenvolvimento desta actividade.

Luis Lupi, médico-veterinário no Serviço Nacional Coudélico, começou por alertar os presentes que nesta área é importante o valor que se tem, independentemente da pontuação que se obtém. E passou a explicar: “A pontuação é apenas o resultado de um juízo feito no momento. Mas é preciso dar pontuações, porque só o que é avaliado é que é possível de ser melhorado. É preciso estabelecer objectivos e fazer avaliações para obter a certificação, isto no que diz respeito a cavalos, cavaleiros e professores de equitação”.

Por outro lado, Luis Lupi referiu que a avaliação tem que ser um processo natural aceite pelo toureio, desporto e equitação de tradição portuguesa.

No que diz respeito ao futuro, ou seja, para melhorar o panoraman equestre nacional, o médico-veterinário no Serviço Nacional Coudélico salientou que é preciso saber o que vai acontecer com o utilizador do cavalo ou qual o futuro da Escola Nacional de Equitação nas diversas suas vertentes, entre outros.

2ª JORNADA CDE

Na segunda jornada do concurso de dressage nacional, Francisco Cancella d’Abreu foi o vencedor da prova P3 montando o cavalo “Vima”. No segundo lugar ficou António Chaves Ramos, com “Uvina”, seguido de Maria Duarte, em “Urânio”, Jessica Represas, em “Fa”, Emma Clare Rogers, em “Rouxinol”, António Nunes, em “Luna” e Lourenço Beja da Costa, em “Ucle da Lageosa”.

Na prova E3, Francisco Cancella d’Abreu, com o cavalo “Ulisses”, foi primeiro, seguido por Lourenço Gomes Machado (Terramoto HP) e Nuno Batista (Silex).

Duarte Nogueira, montando “Salero”, venceu a prova M3. Em segundo lugar classificou-se Nina Berit Kuhler (Uniforme) e em terceiro, António Chaves Ramos (Tróia), seguido por Francisco Cancella d’Abreu (Gucci), António Chaves Ramos (Eclair de Julliet), José Pedro Amaral (S-Grand Pará) e Carlota Silveira Barandas (Sonata).

Na prova C3, Duarte Nogueira, com a montada “Sal”, foi primeiro, seguido por Pedro Castro Monteiro que obteve a segunda posição em “Lothar” e a terceira montando “Saltitão”, à frente de Frederico Serra (Quarteio).

Finalmente, na prova S. Jorge, Duarte Nogueira repetiu o êxito com Miano, seguido por Ricardo Ramalho (Rolão), Nuno Miguel Vinha Carvalho (Quejarim), João Sousa Gonçalves (Amulet), Manuel Veiga (Quinteiro da Broa), Nuno Baptista (Satélite), Pedro Castro Monteiro (Recife) e António Chaves Ramos (Recife).

INÁCIO JORGE DE SOUSA VENCE O DERBY DE ATRELAGEM

Já na final do Campeonato Nacional de Derby, categoria “1 cavalo”, sagrou-se campeão Inácio Jorge de Sousa com “Taxista” (48 pts).

No segundo posto ficou Eduardo Alvarez (Quartzo) /33,5 pts), seguido por Carla Diniz (Nulo) (33,00 pts).

Terminou em 4º lugar Vasco Lima (Newish) (32,00 pts) seguido de Manuel Diniz (Mandarim) (25,50 pts), João Pedro Magalhães Silva (Limonero) (22,50 pts) e Vítor Amaral Vergamota (Tricana) (20 pts).

EQUITAÇÃO À PORTUGUESA

Prova B de Equitação à Portuguesa
O picadeiro central foi ainda o palco da prova B de Equitação à Portuguesa. Os três apurados para a prova A, foram Nuno Batista, com o cavalo “Satélite”, do criador Júlio Borba e propriedade de João Urmal e Arnaldo Rosado; Ricardo Moura Tavares, com o “Trinco II”, do criador Coudelaria Romão Nunes; e Eduardo Almeida, com “Talismã”, do criador Casa Agrícola Júlio P. Fonseca.

Confira os resultados.

Categorias: Notícias, Novidades