Cavalos, Obstáculos e Cores…

Cavalos, Obstáculos e Cores…

A cor pode ter vários efeitos nos seres humanos. Quando se trata de arte pode transformar cenas sem interesse em paisagens coloridas, com profundidade e sensibilidade.Os psicólogos dizem-nos que as cores afectam o nosso estado de espírito. No entanto, nenhum desses factores é tido em conta para benefício dos cavalos, especialmente o conhecimento de que as cores afectam a nossa avaliação de distâncias e que também criam sensações de calor ou frio, de descontracção ou tensão. A cor pode ser usada para criar ilusões de óptica que confundem totalmente a nossa visão.

Foi feita uma experiência envolvendo cor e usando 12 cavalos e cerca de 100 cavaleiros. Nos cavaleiros incluíam-se desde um chefe de um departamento de arte até um professor de psicologia.   Os cavaleiros e os cavalos tiveram de saltar uma série de obstáculos coloridos, todos diferentes. No fim da experiência, o que ficou claro foi que:- VERMELHO (e todas as cores que contém vermelho) – criam imagens adiantadas (Laranja provou ser a que causa piores erros de avaliação).- AZUL (e todas as cores que contém azul) – criam imagens adiantadas. (Azul-cinzento provou ser, de longe, a causa dos piores erros de avaliação em relação aos saltos).- BRANCO, VERDE, PRETO – não criam erros de avaliação.A pior combinação foi portanto, a combinação de varas laranja e azul-cinzento em posições erradas.

1ª EXPERIÊNCIA

1º OBSTÁCULO – Altura de 1 metro – vara simples azul-cinzento. 2º OBSTÁCULO – duas varas cruzadas a uma altura de 1,15m mas distanciadas 75cm depois da primeira vara. Cor – laranja. O efeito que esta combinação teve nos cavaleiros a mais de 4 metros de distância do salto foi de que as varas laranjas pareciam estar por baixo da vara azul-cinzenta. Por essa razão eles usavam as varas laranjas como se estivessem no chão a marcar o salto. Os cavaleiros posicionavam os cavalos directamente por baixo da primeira vara, o que lhes impedia o salto limpo, dado que as varas laranjas os tinha levado a aproximarem-se de mais.

2ª EXPERIÊNCIA

Usando seis cavalos capazes de saltarem com facilidade obstáculos a 1,20m, baixámos a vara em causa para 75cm de altura: em 95% das vezes os cavalos derrubaram a vara. Alguns começaram até a recusar chegar-se ao obstáculo.Os cavaleiros que compreenderam o efeito óptico que a vara provocava em ambos, tentaram desesperadamente ajustar a sua visão mas verificaram que era impossível (mesmo aqueles que estavam determinados a não se deixarem afectar).Os cavalos foram montados tanto por cavaleiros experientes capazes de ajustarem o passo como por novatos que deixavam a avaliação para o cavalo. Os resultados foram os mesmos. Alguns cavalos tornaram-se tensos e altamente excitáveis.Nesta altura o 2º salto foi mudado para varas brancas e azuis. Subsequentemente todos os cavalos fizeram saltos limpos sem nenhum se recusar e todos totalmente descontraídos.O salto original, se visto do lado oposto, isto é, com as varas laranjas mais perto e o azul-cinzento mais afastado, dava a perspectiva correcta. Todos os cavalos o saltaram sem derrubes.

3ª EXPERIÊNCIAComo prova final, varas no chão foram correctamente espaçadas usando várias cores e uma vara laranja no final. Todos os cavalos trotaram facilmente sobre elas até à vara laranja no final, aí, todos tiveram uma hesitação óbvia com a vara laranja em primeiro lugar, os cavalos hesitaram e tentaram dar uma meia passada, e apesar de estarem correctos no começo, estragaram a rotina.

CONCLUSÃO FINAL

Os cavaleiros acharam que o tentarem saltar estes obstáculos os fez sentirem-se tensos. A sua destreza e capacidade de avaliação estavam diminuídas e sentiam-se incapazes de aceitar que era puramente uma ilusão óptica.  Consequentemente começaram a mudar as passadas nos obstáculos normais, piorando a situação.

Quando varas laranjas têm de ser usadas, elas devem ser colocadas como varas de entrada, varas azuis nunca devem ser colocadas como varas de entrada ou varas em diagonal sem varas de marcação correctamente colocadas. Se os grandes eventos têm excelentes níveis no que respeita à construção de percursos, certos festivais e concursos, tendem a usar tudo que lhes é acessível e pessoal de pista não qualificado ou com pouca experiência.Serão os cavalos daltónicos? Bem, tirem as vossas conclusões. Estas experiências demonstraram certamente um certo grau de reconhecimento das cores…

Categorias: Artigos, Saltos