Faleceu a Condessa de Vill’Alva

Faleceu a Condessa de Vill’Alva

Maria Teresa Eugénio de Almeida

Faleceu no passado dia 14 de Julho a Senhora Condessa de Vill’Alva, tinha 95 anos e uma vida dedicada à herança mecenática do marido, com quem em Évora criou a Fundação Eugénio de Almeida.

Sócia Honorária da Associação Portuguesa de Atrelagem (APA), desde o ano 2000, a Senhora D. Maria Teresa Ortigão Burnay de Almeida Bello Eugénio de Almeida acompanhou a APA desde o seu início e foi responsável pela criação de um Museu de Carros de Cavalos em Évora, com o apoio e incentivo do então Director João Silveira. Museu esse que reuniu um grupo de Carros de Cavalos de grande qualidade que pertenciam à Casa Vill’Alva e a diversos Eborenses.

A influência de Maria Teresa Eugénio de Almeida, conhecida como condessa de Vill’Alva e que morreu sem descendência, tornou-se muito relevante depois da morte do seu marido, que teve lugar logo em 1975. A Fundação Eugénio de Almeida (FEA), cujo projecto mais recente foi a criação, em 2013, de um centro cultural dedicado à arte contemporânea, o Fórum Eugénio de Almeida, é uma importante proprietária de património histórico em Évora, detendo monumentos como o Paço de São Miguel, as Casas Pintadas, o Palácio da Inquisição (onde é o fórum), mesmo ao lado do Templo de Diana, e ainda o Convento da Cartuxa, além de 6500 hectares de terra no concelho, onde é produzido vinho sob a marca Cartuxa, origem da maior parte do financiamento da instituição. A fundação tem igualmente património em Lisboa, nomeadamente a Casa de Santa Gertrudes, ao lado da Fundação Calouste Gulbenkian, cujos jardins lhe são contíguos.

Categorias: Atrelagem, Notícias