Cavalos PSI correm mais rápido

Cavalos PSI correm mais rápido

 

                                                    Texto: Dr. Henriqe Cruz

Durante anos tem-se assumido que os cavalos de corrida teriam atingido o limite máximo da capacidade atlética: no entanto o resultado de uma investigação recente sugere que os cavalos estão a correr mais rápido.

O estudo que saiu recentemente da Universidade de Exeter (Reino Unido), analisou 616084 tempos de galope em mais de 70 mil cavalos e revelou que a velocidade dos cavalos ganhadores tem aumentado significativamente desde 1850.

O Dr Patrick Sharman, do Centro de Ecologia e Conservação daquela Universidade, referiu que existe um consenso geral de que nos últimos 30 anos as velocidades dos cavalos de corrida se mantinham estagnadas. O seu estudo revelou que isso afinal não é verdade e que os cavalos estão de fato a correr mais rápido atualmente.

O que está ainda por provar é se este fato tem uma base genética ou se depende de fatores externos.

O estudo tambem revelou que os aumentos históricos e os atuais têm-se verificado principalmente nas corridas de distâncias mais curtas (sprints).

O famoso treinador de cavalos de corrida Mark Johnston, que também é veterinário, referiu que este achado não o surpreendeu. Comentou que o principal interesse na seleção de reprodutores concentra-se mais na velocidade do que na endurance, consequentemente é natural que seja nessa área que se verificaram mais melhorias. Basta olhar para os tempos das corridas para concordar com os resultados deste estudo. Ainda no mês passado, um dos cavalos treinados por Mark Johnston, “ORIENTAL FOX”, bateu o recorde na pista de Ascot.

Só um cavalo extraordinário consegue bater um recorde destes; no entanto também tem havido bastantes melhorias noutros parâmetros, como por exemplo a qualidade dos pisos nos hipódromos. No entanto, os fatores que se pensa terem contribuído mais para os tempos mais curtos são os melhoramentos genéticos, alterações nos métodos de treino e alteração no estilo de montar; principalmente desde 1970 quando o lendário Lester Piggot foi pioneiro na utilização de estribos curtos.

Naturalmente alguns treinadores mostraram ceticismo em relação aos resultados deste estudo. Houve mesmo quem desse o exemplo do recorde da pista de Sandown, que pertence a “ARKLE” desde 1968 e ainda não foi batido.

Os autores deste estudo argumentam que casos como o de “ARKLE” e do famoso “SECRETARIAT”, que mantêm recordes fenomenais nos Estados Unidos desde a década de 70, são a exceção à regra, por se tratar de cavalos verdadeiramente excecionais.

Por outro lado, temos o caso do incrível FRANKEL (https://en.wikipedia.org/wiki/Frankel_(horse)), o puro-sangue inglês mais bem cotado desde que se iniciou o registo dos recordes, e que se retirou apenas há 3 anos.

Fonte da notícia: SKYNEWS
publicada na newsletter da BEVA (British Equine Veterinary Association).

2015.07.11

Categorias: Artigos, Maneio & Técnica