Urina do tratador na box leva a penalização do cavalo por doping

Urina do tratador na box leva a penalização do cavalo por doping

Pierluigi Sangiorgi (ITA) / Gelo Delle Schiave. Foto (c) Stefano Grasso

O teste antidoping positivo de um cavalo de dressage, foi causado pelo facto do tratador urinar repetidamente dentro da box.

O Tribunal da FEI, disse estar preocupado com o número de casos em que um ser humano que tenha estado a tomar uma determinada substância, urina numa box, causando um teste antidoping positivo do cavalo.

O Tribunal decidiu que o cavaleiro italiano, Pierluigi Sangiorgi, não teve culpa ou negligência pelo teste positivo de «Gelo Delle Schiave», obtido num CDI-W na Eslovénia, em Maio de 2019.

A amostra retirada do cavalo castrado, de 13 anos, continha Aripiprazol, um antipsicótico utilizado no tratamento da esquizofrenia e transtornos bipolares em humanos.

O cavaleiro disse ao Tribunal que, na investigação, descobriu que o seu tratador tinha uma receita de um medicamento para tratar a sua depressão grave, o que foi confirmado pelo médico do tratador. O tratador também admitiu ter “repetidamente satisfeito as suas necessidades fisiológicas (urina) dentro da box do cavalo desde o momento em que chegou ao evento”.

Mas o relatório acrescenta: O Tribunal está, no entanto, preocupado com o número de casos recorrentes em que urinar nas boxes de cavalos terá levado à contaminação desses cavalos.

“Na opinião do Tribunal, estes são claramente casos que poderiam ser facilmente evitados, se os intervenientes no desporto equestre, fossem devidamente informados sobre os riscos desse tipo de contaminação. O Tribunal incentiva por isso fortemente a FEI, bem como os cavaleiros que devem educar o seu pessoal de apoio, sobre as nefastas consequencias destes descuidos.”

O cavalo foi desclassificado do concurso, mas nenhuma restrição ou  multa foi imposta ao cavaleiro.

Decisão do Tribunal da FEI AQUI

 

Categorias: Dressage, Notícias