Um dia nasceu algo interessante,,,

Um dia nasceu algo interessante,,,

No início dos anos 80, um grupo de amigos resolveu fundar algo diferente. Algo que pudesse reunir as famílias em torno do cavalo para provas e competições nos fins-de-semana. Algo que pudesse estimular a participação de pais e filhos em torno dos cavalos, com custos baixos e com viabilidade de participação de todos. Amigos ou colegas de profissão, estas pessoas resolveram montar a cavalo de uma forma simples, descontraída, por muitas vezes criticada, mas com muita alegria. Estas pessoas tinham um sonho na cabeça e um ideal no coração: o de se praticar desportos a cavalo de uma forma simples e divertida, com custos baixos e participação de famílias. A ideia “pegou”. O grupo cresceu, fortaleceu-se, criou ideias e conceitos, criou seguidores e verdadeiros fãs. Os cavalos aumentaram, os locais aumentaram, o desporto a cavalo evoluiu, ficou conhecido e famoso.

Provas em todo o Brasil, patrocinadores, cavaleiros famosos, televisão, media e tudo o que nunca ninguém esperava que acontecesse aconteceu. O tal grupo entrou por outras modalidades, invadiu os grandes clubes das capitais, mostrou a cara e venceu. Disputar com estes cavaleiros e amazonas por muito tempo foi sinónimo de segundo lugar ou mais. Como uma caravana que chegava à cidade, eles faziam festa, traziam alegria, descontracção e saúde. Era como se uma onda invadisse um recinto ou parque de exposição, mudasse toda a rotina do local e ainda deixasse um monte de pessoas desejando seguir junto para a próxima prova.

Com o tempo passando, e o desporto evoluindo, uma simples ideia tornou-se talvez uma das mais emocionantes sensações vividas pelos “pais de ideias” deste mundo: as Olimpíadas. De uma reunião de amigos para o mais importante dos eventos desportivos do mundo. Pois foram para as Olimpíadas com o mesmo sentimento que iam para as provas de sempre. Alegria, descontracção e sentimento de realização. Não ganharam, mas nunca perderam. Nunca perderam o cerne e o idealismo daquele primeiro grupo de amigos que se reuniu para organizar provas em fins-de-semana a um custo baixo e com as famílias à volta, vivendo cavalos como talvez eles mais mereçam ser vividos – com alegria.

Passado algum tempo chega o boato ou notícia de que aquela ideia esta terminando, ou tornando-se parte de outra instituição. Passa o tempo e chega junto uma espécie de tristeza só de pensar em tudo o que foi conquistado e não mantido. Ao mesmo tempo tudo isso nos faz reflectir sobre algo importante: quem viveu aquela época viveu o cavalo como tal. Viveu em cima e ao lado dos cavalos, alimentando, treinando, curando, melhorando e ajudando talvez o ser mais belo e nobre do universo.

Faça como a “família ABHIR” sempre fez: viva seu cavalo ao máximo que você puder. Participe da rotina, do dia a dia, dos cuidados e das particularidades do seu cavalo. Deixe de lado a marca da sela, da bota, da calça ou do toque. O seu cavalo não está nem para aí voltado! Viva como viveram as pessoas que um dia tiveram um sonho na cabeça e um ideal no coração.

Lembre-se que foi assim que um dia nasceu algo interessante…

Categorias: Nacional, Notícias, Novidades