TREC: Formação de Praticantes de Plena Natureza

TREC: Formação de Praticantes de Plena Natureza

A prática Equestre no meio natural verifica-se hoje e cada vez mais, como sendo a opção de ócio de centenas de cavaleiros de Norte a Sul de Portugal.

Prova disso são as inúmeras manifestações singulares e colectivas, traduzidas na realização de romarias, randonnées ou simples passeios-convivio a cavalo.

Esta prática deve no entanto ser alicerçada por uma boa formação do conjunto cavalo/cavaleiro, através da procura e obtenção de conhecimentos sólidos de equitação e de exterior, para que o desfrute em pleno do meio natural a cavalo seja um realidade de cada vez que se “passa a perna”.

Uma das formas que o cavaleiro dispõe para evoluir nesta área do Turismo Equestre é seguir os conteúdos apresentados no Programa Oficial de Praticantes de Equitação de Plena Natureza da Federação Equestre Portuguesa, que se apresentam de forma simples, atractivos e progressivos, semelhantes em tudo, aliás, aos “Gallops de Pleine Nature” da FFE.

A participação em provas de TREC, deve também estar sujeita ao conhecimento e interiorização destes conteúdos programáticos, já que, pela sua especificidade, são um pouco mais alargados se comparados com os conteúdos propostos pelo Programa de formação clássico – acrescem temas como Orientação, Meio-Ambiente, etc.

A estrutura do Programa de Plena Natureza a nível de equitação, assenta nos mesmos 3 princípios fundamentais apresentados pelo Programa “clássico”:

– Equilibrar

– Avançar

– Voltar

Pontos coincidentes são encontrados nos grupos relacionados com a teoria equestre e maneio, se bem que este ultimo seja complementado com as regras e acções específicas da randonnée equestre.

Para aquele cavaleiro que pretende experimentar ou iniciar a competição associada à equitação de Plena Natureza – o TREC, verifica-se de importância maior o conhecimento pratico e teórico na área da orientação e topografia, já que a fase mais importante de uma prova (pelo menos em questões de pontuação) é a POR – Percurso de Orientação e Regularidade.

A ANTREC tem vindo a colocar ao dispor dos cavaleiros de exterior nacionais diversas alternativas e ferramentas, no sentido de os ajudar a evoluir nesta área equestre e a obter a sua certificação de praticante e licença desportiva (Sela 4), quer de forma presencial (através de estágios e workshops), quer através do ensino à distância (E-learning).

A frequência de estágios em centros especializados verifica-se aliás como elemento fundamental para que o Cavaleiro de Exterior se possa tornar num verdadeiro Cavaleiro de Plena Natureza.

No fim-de-semana de 21 e 22 de Abril, realizou-se no Parque da Cidade do Porto um conjunto de Exames de Sela de Plena Natureza (Sela 1, 2, 3 e 4), tendo-se apresentado 18 candidatos, dos quais 6 obtiveram aproveitamento na Sela 4.

Estes exames foram precedidos de 4 dias de estágio, distribuídos por dois fins-de-semana, sendo que a formação teórica aos candidatos vindos de Lisboa e Bragança, foi ministrada essencialmente através de E-learning.

Desta forma, seguindo e até alargando a utilização deste programa a outros Centros de Formação, estou certo de que dentro de pouco tempo iremos ter Equitação de Plena Natureza com grande Qualidade em Portugal, pelo menos ao nível dos praticantes.

Categorias: Notícias, TREC