Talento Olímpico

Talento Olímpico

O talento do cavaleiro Olímpico Gonçalo Carvalho não para de surpreender. Quando tudo e todos achavam que o fim do projeto Rubi iria desacelerar o andamento de êxitos deste jovem cavaleiro de Dressage, eis que surge ao comando da super Batuta, integrado num projeto liderado por Mário Franco da ISHI – International Sport Horses Investment -, e integrando uma equipa jovem e dinâmica (Nuno Deveza – tratador; Sérgio Pinto – ferrador; João Crespo – veterinário).

Os resultados obtidos no Europeu de Dressage 2015 foram excepcionais: GP 70,557% – 23.º; GP Especial 71,148% – 15.º ; GP Freestyle 72,768% – 13.º. Já em 2014 (ano em que a égua foi adquirida pela ISHI) e com a pontuação de 71,400%, este conjunto venceu o GP Especial do CDI4* de Munique (Alemanha).

A Batuta tem apenas 9 anos, e margem de progressão para melhorar. Mais uma vez o Gonçalo coloca a fasquia bem alto e refere que tem como objetivo chegar aos 80%. Esta égua vem contrariar uma corrente em Portugal que defendia que os cavalos finos e reparadores não tinham lugar na Dressage.

Os resultados do conjunto têm agregado mediatismo. No dia 27/08/2015, em horário nobre da SIC a reportagem televisionada o “Cavaleiro Lusitano” (21 minutos) foi um sucesso! A mensagem foi objetiva: “Nos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012, Gonçalo Carvalho e Rubi surpreenderam o mundo da Dressage ao chegar à final. Com os Jogos do Rio de Janeiro à porta, o tri-campeão nacional apostou de novo no puro Sangue Lusitano e já conseguiu o que nenhum outro conjunto totalmente nacional alcançou”.

Esta divulgação é um contributo enorme para a massificação da Dressage em Portugal. São exemplos deste calibre que motivam a ambição de muitas crianças a experimentar e investir o seu tempo na modalidade. Como em qualquer desporto, impõe-se a existência de ícones que constituam um exemplo de que é possível ser competitivo ao nível dos melhores do mundo.

Há muitos anos atrás a APSL deu o “kick off” com um projeto de Lusitanos no ensino… os resultados estão à vista.

Vale a pena investir em formação, principalmente quando esta for sustentada em projetos ambiciosos, que integrem cavalos Lusitanos e cavaleiros Lusos!

Rodrigo Almeida

Categorias: Dressage, Notícias