Proibir touradas? “É folclore mediático”

Proibir touradas? “É folclore mediático”

Protoiro desvaloriza nova investida do PAN para proibir corridas de toiros. “É mais uma ação desesperada de um partido em luta pela sobrevivência”, diz a federação

A Protoiro – Federação Portuguesa de Tauromaquia desvaloriza a mais recente e já esperada iniciativa do PAN para tentar proibir a Tourada em Portugal. “Trata-se de uma rotina demagógica, fundamentada em mentiras, que ataca a Constituição da República Portuguesa”, afirmam os responsáveis, em comunicado enviado ao DN, acrescentando que esta “representa uma nova iniciativa antidemocrática de um partido desesperado e cada vez mais extremado na luta pela sobrevivência”.

“A identidade de um povo, ao contrário do que defende o PAN, manifesta-se pelo respeito da diversidade cultural e não pela imposição de uma ideologia única”, defendem, considerando mesmo que esta vontade “manifestada nesta posição radical” contraria o n.º 2, do art. 43º da Constituição, segundo o qual “o Estado não pode programar a Educação e a Cultura segundo quaisquer diretrizes filosóficas, estéticas, políticas, ideológicas ou religiosas”.

Além de alertar para a questão legal, a Protoiro faz ainda questão de desmontar os argumentos do PAN, vincando mesmo que, não sendo esta a primeira vez que a Assembleia da República debate a proibição de touradas em Portugal, esta tem sido rejeitada por esmagadora maioria, como aconteceu em 2011, quando cerca de 80% dos deputados votaram pela manutenção do espetáculo.

“Em 2017, realizaram-se 205 espetáculos tauromáquicos em 80 municípios e não 181 em 44 conforme refere o PAN. Estes espectáculos realizaram-se em 15 distritos de norte a sul do país, além da Região Autónoma dos Açores. E no ano passado registou-se um aumento de 1,8 % do número de espectadores em touradas para um total de 435 660. Não contabilizados estão os mais de mil eventos de tauromaquia popular que se realizam por todo o país, como a Vaca das Cordas (Ponte de Lima), a Capeia Arraiana (Sabugal), as largadas de toiros (Ribatejo) e as Touradas à Corda (Açores).”

Categorias: Notícias, Tauromaquia