Luís Príncipe supera mais uma vez os 70% numa qualificativa da Taça do Mundo

Luís Príncipe supera mais uma vez os 70% numa qualificativa da Taça do Mundo

O Olympia Horse Show esgotou na noite de terça-feira passada (18/12), com as bancadas repletas de entusiastas para assistir ao Freestyle do CDI-W de Londres.

Segundo Luís Principe, “…Olympia foi como sempre um evento espectacular nesta época natalícia, em que todos os cavaleiros se juntam e confraternizam fora da zona do concurso uma vez que o centro de Londres está a cerca de 30m a pé.

É um dos meus concursos favoritos não só por ser perto de casa mas também por ter uma das pistas mais bonitas. O telhado espelhado e todo o trabalho artístico à volta do mesmo, dão-lhe uma sensação de grandiosidade, como se estivéssemos numa catedral ou algo tão imponente.

Em relação ao meu Grande Prémio , fiquei descontente com o resultado, pois o meu cavalo não esteve no seu melhor. Este, apresentou-se pouco descontraído (tanto mais que se pôs em pé no recuar), o que é fatal para recuperar as notas num concurso deste nível. Na minha opinião, a falta de concentração teve origem no aquecimento insatisfatório, sendo que o picadeiro para este efeito é o mais pequeno que eu alguma vez conheci! Tem apenas cerca de 16m de largo e talvez 45m de comprido. Sendo Washington um cavalo grande fazer o aquecimento nesse espaço, com outros 5 cavaleiros em simultâneo, a tentarem aquecer as suas montadas para as provas, foi quase impossível, terrível mesmo…Esta foi a única nota negativa manifestada pelos participantes que disputaram esta qualificativa da Taça do Mundo.

Quanto ao Freestyle, não é fácil ser o primeiro em pista, especialmente quando no dia anterior não estivemos no nosso melhor, mas isso resultou a nosso favor, pois assim tivemos o campo de aquecimento exclusivamente para nós o que ajudou bastante em relação ao dia anterior. Foi também a primeira vez que usei a minha nova Kur em solo britânico. Penso que se tivesse sido o terceiro da ordem de entrada teria tido cerca de 1,5% a 2% acima da minha pontuação que foi de 70,575%. Estou satisfeito, pois o Washington melhorou bastante de um dia para o outro e isso foi importante para terminar o ano bem”.

Categorias: Dressage, Notícias