Filipe La Feria na inauguração do Campo Pequeno

Filipe La Feria na inauguração do Campo Pequeno

A centenária praça de touros do Campo Pequeno, em Lisboa, vai reabrir dia 16 de Maio com um espectáculo de música, ópera, bailado e demonstrações equestres concebido por Filipe La Féria para mostrar as potencialidades do novo espaço.

Encerrada há sete anos por problemas de segurança, a praça de touros começou a ser reabilitada em 2002, mas a sua reabertura foi sucessivamente adiada.

As obras de recuperação do edifício, com 113 anos, incluiu uma reabilitação profunda da estrutura e a construção de uma cobertura amovível, que possibilita que o espaço venha a acolher, além das corridas de touros, diversos tipos de espectáculos, como ópera, orquestras de música sinfónica, concertos e teatro.

É esta potencialidade que o encenador Filipe La Féria pretende demonstrar, ao incluir na gala de inauguração excertos da ópera «Carmen», de Bizet, bailado, musical, cinema, música e «rock».

O espectáculo contará ainda com uma lide de touros, por Pedrito de Portugal e Mestre Luís de Veiga, e demonstrações pela Escola Portuguesa D'Arte Equestre, do Centro Equestre da Lezíria Grande e da Associação Nacional de Dressage. A moda também estará presente, com um desfile do estilista João Rolo, tal como as bandas da Armada, do Exército e da Força Aérea.

«Serão apresentados variadíssimos quadros para ilustrar as diferentes potencialidades da praça», explicou à Lusa Lurdes Mesquita, do Teatro Politeama, ligada à produção do evento. Os cantores Simone de Oliveira, Anabela e Wanda Stuart, os actores Marina Mota, Carlos Paulo e Carlos Quintas e os fadistas D. Vicente da Câmara e José da Câmara vão participar no espectáculo, a par do Grupo de Sevilhanas Serva La Bari e de Joaquin Moreno.

A praça de touros, um edifício classificado como imóvel de interesse público pelo Instituto Português do Património Arquitectónico (IPPAR), é da autoria do arquitecto José Dias da Silva e é um exemplo característico de arquitectura revivalista neo-árabe.

O projecto de reabilitação da praça, que pertence à Casa Pia de Lisboa, recupera dois elementos que constavam no projecto original: a cor azulada das cúpulas (que eram, até agora, encarnadas) e a construção da cobertura amovível.

As obras incluíram também a construção de novas bancadas, mais largas e confortáveis, com cadeiras, com uma capacidade para 8.000 pessoas, que pode aumentar para os 9.000 lugares com a instalação de uma bancada sobre a arena.

Categorias: Notícias, Tauromaquia