FEI proíbe tosquiar pernas do cavalo durante concursos

FEI proíbe tosquiar pernas do cavalo durante concursos

Já não é permitido tosquiar as pernas dos cavalos durante os concursos de acordo com o novo regulamento da Federação Equestre Internacional.

Segundo a FEI, os cavalos a competir em concursos federados não podem ser tosquiados nas pernas durante e no local dos concursos.

Esta alteração é uma atualização à política da FEI que visa ajudar a combater as zonas “hipersensíveis” ou “hiposensíveis” do corpo dos atletas equinos.

Esta alteração entrou em vigor no dia 1 de Janeiro e abrange todas as modalidades da FEI. Está prevista no Artigo 1004, página 12 /  Métodos Proibidos, dos regulamentos veterinários da FEI de 2019.

A regra estipula que se os cavalos presentes em eventos da FEI tiverem “os pêlos dos seus membros tosquiados e/ ou rapados durante a sua presença no local do evento FEI”, não poderão competir.

Rapar ou tosquiar as pernas de um cavalo mesmo antes de uma prova será considerado como um “método que por si mesmo pode aumentar a sensibilidade do cavalo” e que poderá também ser considerado como sendo uma “preparação para a aplicação de substâncias destinadas a causar hipersensibilidade”.

As regras também estabelecem que se for necessário tosquiar um cavalo por razões veterinárias num evento, a comissão veterinária ou o veterinário delegado deverão autorizar previamente o veterinário que vai tratar o cavalo antes de poder ser feita qualquer investigação ou qualquer tratamento.

Aceita-se no entanto que as pernas do cavalo sejam tosquiadas antes da sua chegada ao local do concurso da FEI.