Falta Inovação na Dressage…

Falta Inovação na Dressage…

A Dressage, como um desporto, precisa de mudanças. É este o apelo de Frank Kemperman, o Director de Pista do CHIO de Aachen (um dos eventos mais importantes do calendário da FEI).

“Como em todos os desportos, deveríamos trabalhar continuamente para melhorar o nosso desporto”, declarou Kemperman durante o “Global Dressage Forum” em Hooge Mierde, Holanda, na segunda-feira (29/10) à noite. Comentou ainda que para o público em geral, a Dressage, nos dias de hoje, ainda é um segredo…

Declarou que, simplificar as estruturas seria muito importante: hoje em dia, existem demasiados campeonatos cuja importância não é facilmente transmissível ao público. Sugeriu que o Campeonato do Mundo deveria ser marcado como o auge da época de Inverno. No Verão, deveria ser estabelecida uma série oficial com três ou quatro campeonatos. Esta série poderia simultaneamente constituir o Campeonato Europeu.

Kemperman sugere também a redução da duração das provas; a duração média é de 360 segundos. A duração média das provas de saltos de obstáculos é de 70 segundos; uma forma mais compacta seria mais atraente, tanto para os espectadores como para os media. “Também é necessário mais empenho e mais publicidade da parte dos atletas”, comentou.

Apela também a um aumento do número de profissionais, principalmente das “estrelas” de alto nível: de momento, Anky van Grunsven e Isabell Werth dominam o desporto. Para estabelecer um nível de topo com dez a quinze atletas é necessária uma distribuição diferente do “prize money”, dado que mais profissionais deveriam poder viver deste desporto.

Os Jogos Equestres Mundiais FEI de 2006 em Aachen atraíram 40.000 espectadores para a Dressage e as audiências televisivas de topo mostraram o enorme potencial deste desporto. Para Kemperman, a mudança e inovação são essenciais para libertar todo este potencial.

Categories: Dressage, Notícias