Deputados do PSD querem saber qual será o futuro da Coudelaria de Alter do Chão

Deputados do PSD querem saber qual será o futuro da Coudelaria de Alter do Chão

Os deputados do PSD Cristóvão Crespo, José Matos Rosa e Paulo Batista Santos, em pergunta dirigida ao Ministério da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território, pretendem conhecer qual a solução que o Governo tem definida para o futuro da Coudelaria de Alter do Chão, tanto a nível de gestão, como de preservação do património material e do património genético.

Em pergunta hoje remetida para o Ministério de Assunção Cristas, os parlamentares querem ainda saber se o Governo fez tudo que estava ao seu alcance para envolver a Câmara Municipal e os atuais fundadores privados que integram Fundação Alter Real, no sentido de todas as partes fazerem parte da solução para o futuro da Coudelaria de Alter.

Os social democratas recordam que a Coudelaria de Alter do Chão é a mais antiga do País e do Mundo, «constituindo uma das marcas mais fortes do Alto Alentejo», e que «recebeu fortes investimentos no âmbito dos anteriores quadros comunitários de apoio», lembram ainda os deputados.

Notam ainda que em 2007, com a criação da Fundação Alter Real (FAR) que foi instituída pelo Decreto-Lei nº 48/2007, de 27 de fevereiro, por extinção do então Serviço Nacional Coudélico, foram reafirmados os objetivos de preservação do património genético e cultural da Coudelaria de Alter, bem como estava implícito o princípio de envolver a iniciativa privada, no sentido de assegurar a sua sustentabilidade futura.

«Contudo os problemas acumulados do passado e a difícil situação financeira do País arrastaram a Fundação Alter Real/Coudelaria de Alter do Chão para a indefinição quanto ao seu futuro», situação que sugere uma solução participada pela autarquia e privados, bem como a adequada valorização do património material e genético da Coudelaria de Alter do Chão, defendem os deputados do PSD.

Categorias: Coudelarias, Notícias