Campo Pequeno à venda até ao final do ano

Campo Pequeno à venda até ao final do ano

Foi tornado publico nesta quinta-feira, a pretensão do grupo suíço Springwater adquirir o Campo Pequeno. O grupo já gere uma arena de touros em Madrid.

À margem apresentação do livro “Campo Pequeno- 125 anos no Coração de Lisboa”,  Paula Mattamouros Resende, Administradora do Campo Pequeno, foi questionada por Rui Lavrador (Infocul/Toureio.pt) sobre esta e outras questões relativas ao tauródromo lisboeta.

Sobre o interesse do grupo Springwater referiu que “é do conhecimento das pessoas, se não é vai ser, que o Campo Pequeno vai ser vendido e é evidente que nós queremos que haja grupos interessado na sua compra”, antes de acrescentar que “o grupo em questão, parece-me um grupo com boas perspectivas e com boas condições de agarrar nesta casa”, complementando “fiquei satisfeita com a notícia”.

“Ainda não há data para o concurso, as coisas estão em andamento, esperemos que até ao fim do ano que seja posto em prática” disse quando questionada sobre a data prevista para o concurso do taurodromo lisboeta. Revelou ainda não ter conhecimento público de mais interessados.

Mas este concurso não determina o fim da insolvência, “o processo de insolvência continuará nos tribunais”, disse. Durante o tempo em que tem estado à frente do Campo Pequeno tem sido alvo de algumas críticas menos positivas, quer da imprensa taurina quer da generalista, sobre as quais revela que “nunca é fácil lidar com as coisas menos agradáveis, mas por outro lado também é positivo e interessante, porque uma pessoa só consegue melhorar com a crítica”. Sobre o actual estado financeiro da Praça do Campo Pequeno revela que “deixo a praça com tudo pago, não há salários em atraso, não há dívidas a fornecedores e deixo uma bela maquia para distribuir pelos credores, não deixo dinheiro a quem compra”.

Mas continuará Paula Mattamouros Resende na tauromaquia? “O futuro a Deus pertence”, mas recusou o regresso da familia Goes Ferreira ao Campo Pequeno, “não, não acredito. A Família penso que não esteja previsto adquirir o Campo Pequeno”.

Deixou ainda a garantia que este processo de venda não vai afectar nada, quer relativamente aos abonados, quer relativamente à temporada tauromáquica do próximo ano.

O Campo Pequeno tem 3,5 milhões de visitantes por ano e gera receitas de 2,6 milhões de euros no centro comercial e no parque de estacionamento. A dona deste espaço, a Sociedade de Renovação do Campo Pequeno, entrou em insolvência em 2014 e desde então recebeu propostas de grupos franceses e espanhóis.

Categorias: Notícias, Tauromaquia