A criação nacional de cavalos de desporto em alta

A criação nacional de cavalos de desporto em alta

Os excelentes resultados obtidos no decorrer do Green Horse Tour Riders, pelas jovens éguas “Dejavu” e “Divogh da Gandarinha”, mostram como a criação nacional de cavalos de desporto pode evoluir, equiparando-se aos cavalos importados do Centro e Norte da Europa.

Estas duas éguas, de 6 anos, têm vindo a evoluir favoravelmente, desde o início deste ano.

Assim, “Dejavu da Gandarinha” e o cavaleiro júnior Tiago Carvalho Morais revelaram-se logo no início do ano no Riatour, em Aveiro, um conjunto promissor e competitivo, tendo subido ao pódio diversas vezes. No passado fim-de-semana, voltaram a brilhar na prova de cavalos de 6 anos na Golegã.

“Divogh da Gandarinha” com António Vozone, a disputar a mesma prova desde a segunda classificativa do GHTR (em Óbidos), conquistou o 1º lugar, em 5 das 6 provas em que participou.

“Dejavu” e “Divogh” são ambas fruto de inseminação artificial, filhas do garanhão KWPN “Verdi” (medalha de prata por equipas nos J.O. Londres 2012) e do garanhão KWPN “Van Gogh”, respectivamente.

A estratégia de criação da Quinta da Gandarinha em Fermentões, passa pelo cruzamento de éguas nacionais, aprovadas no livro Português de Desporto, com cavalos de grande aptidão desportiva das raças KWPN e BWP, com o intuito de obter cavalos de médio porte, equilibrados e dotados de grande agilidade e funcionalidade.

Categorias: Coudelarias, Notícias