10 cavalos lusitanos recebem hoje Rodrigo Torres no Aeroporto de Lisboa

10 cavalos lusitanos recebem hoje Rodrigo Torres no Aeroporto de Lisboa

Torres Rodrigo, POR, Fogoso, 158 Olympic Games Tokyo 2021 © Hippo Foto - Dirk Caremans 28/07/2021

O Desporto Equestre Português deixou uma marca notável em Tóquio e também na memória dos portugueses pelos resultados obtidos. Os cavaleiros portugueses Maria Caetano com Fénix de Tineo, João Torrão e Equador, e ainda Rodrigo Torres com Fogoso alcançaram o 8º lugar por Equipas que corresponde já a Diplomas Olímpicos nesta Edição. Importa recordar que o apuramento por Equipas para os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 na disciplina de Dressage, não acontecia desde 1952 em Helsínquia.

De facto o Desporto Equestre atravessa, o que se traduziu hoje, na melhor nota de um lusitano nos Jogos Olímpicos, o que levou todos os cavaleiros dos diferentes Países a aplaudirem de pé a performance final do Rodrigo com Fogoso. Rodrigo Torres terminou a final de dressage individual no décimo sexto lugar, o que significa um novo recorde pessoal e o melhor resultado de sempre de um português nesta categoria olímpica.

A prova com uma qualidade inegável que motivou o Mundo Equestre a reunir 10 cavalos lusitanos para uma Recepção única a Rodrigo Torres, HOJE pelas 23 horas, no Aeroporto de Lisboa.  Será algo inédito o que vai acontecer no Aeroporto de Lisboa com uma armada a Cavalo em representação de todas as disciplinas Equestres para receber o cavaleiro português que está muito feliz por tudo aquilo que ele e o Fogoso alcançaram nos Jogos Olímpicos.

Importa referir que o resultado alcançado ganha maior importância pelo facto de ter sido obtido exclusivamente com cavalos da raça lusitana o que fomenta ainda mais o valor desta raça autóctone portuguesa, contribuindo para um ainda maior reconhecimento deste grande embaixador de Portugal no Mundo, com impacto muito para além do Desportivo.

A participação nos jogos olímpicos e os resultados obtidos asseguram um futuro promissor para a modalidade já que, com exceção do experiente Carlos Pinto e Sultão de Menezes (conjunto reserva), todos os outros cavaleiros estrearam-se na experiência Olímpica o que, aliado ao fato de a seleção portuguesa ser das mais jovens a disputar os Jogos Olímpicos aumenta a esperança de classificações ainda melhores em Paris 2024.