TREC: PRATA E BRONZE PARA PORTUGAL 2007

Texto: Virgílio CervantesFotos: Norbert BaudrazDecorreu nos passados dias 7 a 9 de Setembro em Avenches – Suiça, mais umaedição do Campeonato da Europa de Jovens Cavaleiros de TREC 2007, desta feitasem grandes novidades em termos de classificações, já que a equipa Francesamanteve o titulo de Campeã da Europa e assegurou também a renovação do mesmo titulo em individuais.De referir a "má sorte" dos Ingleses ao verem eliminada Kate Ellison,inviabilizando a participação Britânica por Equipas (A Equipa de TREC éconstituída por 4 elementos, sendo considerada a pontuação dos 3 melhoresconjuntos, quando a equipa é constituída por apenas 3 elementos, sendo umdestes eliminado, as pontuações dos restantes só são consideradas em termos individuais).Verificou-se uma notável evolução na equipa Espanhola, a ausência da Holanda e o mau trabalho de casa da equipa Italiana. A Bélgica, surpreendeu apresentando-se neste Campeonato representada apenas por um elemento – Roxane Tournay, que se classificou contudo a meio da tabela. A equipa da casa jogou forte com 11 elementos e obteve o 2º lugar por equipas e o 3º lugar individual – conseguindo pontuar 4 conjuntos nas 10 primeiras posições (a equipa da casa pode concorrer com o dobro dos conjuntos – Max. 12). A Alemanha passou simplesmente despercebida em termos de equipa, não tendo conseguido mais do que um 16º lugar em individuais, contrariando algumasexpectativas.Portugal, graças à prestação de João Laureano, manteve o título de Medalha de Bronze por Equipas. Pouca sorte teve Manuel Machado ao ver a sua égua Shakira eliminada por controlo veterinário, deitando assim por terra a hipótese de conservar ou até melhorar a sua 10ª posição obtida no último Campeonato da Europa realizado em Exmoor 2006 – Reino Unido. Madalena Costa, debutante em termos internacionais conseguiu um óptimo 23º lugar na geral individual, provando que o percurso de orientação e regularidade (POR) é a fase mais importante num evento de TREC, já que os 128 pontos que aqui assegurou compensaram os fracos 78 pontos obtidos no Percurso em Terreno Variado (PTV). Idem idem, aspas aspas, em relação á prestação de André Santana. Parabéns assim ao treinador de orientação António Bandeiras Esperto. Pelo segundo ano consecutivo fez com que os nossos jovens conseguissem trazer para casa a medalha de bronze! O mérito técnico, analisadas as prestações e "vendo bem as coisas" é dele.A pista de PTV foi montada de forma a permitir uma boa visualização do evento sempre do mesmo local, se não de todas as dificuldades, de quase todas, o que é uma evolução positiva. Esta fase é sem duvida alguma a mais mediática e espectacular de toda a prova. Por coincidência – ou não – decorreu no mesmo local e simultaneamente (Haras Nacional) uma Exposição do Cavalo Lusitano, facto que trouxe um "colorido" diferente a um ambiente dominado por "randonneurs".Pena é, que os Campeonatos de Jovens Cavaleiros continuem a assumir uma espécie de "segundo plano" nos eventos FITE, isto a avaliar pela fraca adesão dos Países membros (apenas participaram 7 equipas). Este facto não é de agora, aconteceu o mesmo em Chalain – França 2005 e em Exmoor – Reino Unido 2006.Em relação ao último Campeonato da Europa a organização e direcção das diferentes provas (POR/MA/PTV) esteve significativamente melhor, a PORdecorreu nos "timmings" previstos e a acção da equipa veterinária foi marcada por uma intervenção atenta, apesar de uma ou outra reacção menos positiva por parte de um ou outro chefe de equipa mais "indignado", o bem estar dos cavalos foi justo factor de eliminação de alguns conjuntos.A equipa de juízes nacionais foi composta pela ATE (Acompanhante de Turismo Equestre) Marisa Brasil e pelo Maj. Joaquim Batuca.Vamos esperar que apareçam novos jovens cavaleiros em Portugal para continuar o trabalho deste "velhos" jovens cavaleiros (o João Laureano já concorre em Portugal como Sénior e em breve terá de o fazer nas provas internacionais).Confira os RESULTADOS  das várias fases.

Categorias: Artigos, Modalidades
Tags: TREC 2007