«Rico» em ano de destaque

«Rico» em ano de destaque

Por Rodrigo Coelho de Almeida

“A Raça não lhe fica indiferente”

Há genética que não aparece por acaso. A influência do saber e experiência acumulada do Dr. Guilherme Borba, encontra-se bem espelhada na performance dos lusitanos de maior destaque Internacional. O garanhão Rico GUB (Hostil GUB x Cortiça FEA por Tivoli AR) tem-se destacado enquanto progenitor de animais Lusitanos, ganhadores nas diferentes classes de modelo e andamentos, quer ao nível nacional, quer internacional.

Foi Campeão Macho no Festival Internacional do Cavalo Puro Sangue Lusitano (FIPSL) em 2008. Curiosamente este certame serviu de bilhete para Inglaterra, pois desde que o viu ganhador do Festival, a cavaleira Olímpica Kyra Kyrklund rendeu-se às suas qualidades.

Antes de ir para Inglaterra foi ensinado pelo seu proprietário António Borba Monteiro, que desde cedo lhe reconheceu as qualidades. Em Inglaterra o Rico competiu com Kyra Kyrklund, a um nível Top (S. Jorge e Intermediária), batendo-se com animais do nível do Uthopia, com Carl Hester, e alcançando pontuações acima dos 76%. Note-se que a este nível, foi o único conjunto que venceu Carl Hester!

Ao nível de Grande Prémio, e agora em Portugal, no decurso de 2013, o conjunto Miguel Ralão/Rico, obtiveram as seguintes classificações: CDN CEIA, Alfeizerão (1º-GP 69,04%,1º-IntII 69,69%); CDI Madrid (7ºGP 64,49%); e CDI Ponte Lima (4ºGP 64,64%, 2º GPS 67,19%). Com estes resultados, o conjunto obteve a qualificação para o Campeonato da Europa, e assegurou lugar como reserva da equipe de Portugal.Nas palavras de Miguel Ralão «o Rico é um cavalo excepcional em termos de capacidade atlética, força, elasticidade e equilíbrio» e não hesita em acrescentar: «em poucos cavalos tive a oportunidade de sentir a faculdade de poder dispor de tantas “mudanças” em cada andamento.» O cavaleiro Rodrigo Torres não ficou indiferente ao potencial genético deste cavalo de Grande Prémio, e depois de o experimentar, não hesitou em o utilizar nas éguas da sua coudelaria (Torres Vaz Freire). Os resultados não se fizeram esperar, e este ano o “Fidalgo” na FIPSL, e o “Famoso” na Feira da Golegã, ficaram em primeiro lugar na classe de 3 anos. Relativamente à sua impressão do Rico é peremptório: “Em minha opinião dentro da raça lusitana e em certos aspectos é muito acima da média. Tem força, equilíbrio natural, uma grande capacidade de sair do chão. Tem muito bom ritmo, tanto no trote como no galope, bem como um passo bastante consistente. Foram estas características que me levaram a usar o Rico nas nossas éguas. Tivemos sorte, pois em quase todos os produtos obtidos, tivemos sucesso.”

FIDALGO E FAMOSO

Na opinião do criador espanhol Francisco Vera, relativamente aos filhos do Rico, afirma: “Vistos estos potros pienso que debo repetir con Rico este año, porque nunca crie nada igual.”No Brasil, um dos Haras de Lusitanos que está a atravessar um excelente momento, e onde está a dar cartas a competência e saber do português João Guilherme, também aí, uma das filhas do Rico, a “Grot do Drosa”, ficou em posição de destaque na última exposição Internacional do PSL no Brasil. Na opinião de João Guilherme “o Rico além de ser um dos melhores cavalos que conheci montado, como pai, destaca-se pelas qualidades que a raça precisa. Os filhos saem muito do chão, e com uma característica que no meu ver, a raça carece bastante… RITMO”.

O “Arrogante” da criação da coudelaria Júlio Borba, propriedade da Equikur (Quinta da Penha Longa), é acompanhado regularmente pelo cavaleiro Miguel Ralão, e montado por Gonçalo Ribeiro, encontra-se prevista para o próximo ano a estreia deste conjunto ao nível Internacional, na disciplina de Dressage.

A Quinta da Ferraria de Luís Meneses, com “Gloria da Ferraria”, obteve o título de égua de ouro na Expoégua de 2012, e ficou em 1.ª e 2.ª classificada no FIPSL de 2012 e 2013. Tamanho palmarés de prémios permitiu assegurar que a utilização do Rico, enquanto reprodutor, foi uma aposta mais que ganha.A Dona Rica, do Dr. Pedro Ferraz da Costa, sob a monte do cavaleiro Olímpico Miguel Ralão, ficaram posicionados em 1.º lugar na classe éguas montadas, no FIPSL de 2012 e 2013. Miguel Ralão considera a Dona Rica “uma égua bastante acima da média, com que competi no critério de 4 anos em 2012, e outros concursos em 2012 e 2013 com sucesso”.

Relativamente à descendência do Rico, afecta à coudelaria da qual é proprietário, o Dr. Pedro Ferraz da Costa comenta: “deu bem com todas as éguas, umas mais barrocas, outras mais desportivas. Dá muito bons andamentos, boas saídas de pescoço, pompa e formatos mais rectangulares. Ainda só montámos uma, a Dona Rica, que é um animal acima da média, em todos os parâmetros, e com muito boa montabilidade.”

No FIPSL de 2012 o Rico posicionou-se em 2.º lugar, com medalha de ouro, na Classe VI descendência de garanhão.Quem conhece bem a descendência deste garanhão, não hesita em afirmar que o mesmo é um desmultiplicador, isto é, transmite peças longas, bom caracter, e acrescenta dimensão aos filhos com qualidade nos três andamentos. Requisitos imprescindíveis à ambição de sucesso e Internacionalização de qualquer coudelaria.Em termos de objectivos futuros, o proprietário do Rico, António Borba Monteiro, pretende apontar o trabalho e as prestações do Rico para uma deslocação aos WEG de 2014 (ALLTECH FEI WORLD EQUESTRIAN GAMES – NORMANDY). Para um cavalo que na sua primeira prova de GP em Portugal pontuou a rondar os 70%, e que a nível Internacional pontuou sempre acima dos 64%, as expectativas são enormes!

Contactos:geral@santoandrelusitanos.com
tobm@santoandrelusitanos.com

Categorias: Actualidade, Artigos