O efeito de múltiplos episódios de anestesia na qualidade do recobro em equinos

O efeito de múltiplos episódios de anestesia na qualidade do recobro em equinos

Texto: Dr. Henrique Cruz.

Um estudo recente publicado na edição de janeiro 2018 do Equine Veterinary Journal avaliou o efeito que múltiplos episódios de anestesia geral em cavalos possam ter sobre a qualidade do recobro.

Entende-se por recobro a fase final da anestesia geral em que termina o efeito dos medicamentos anestésicos e o paciente acorda ou recupera da anestesia.

O risco de morte associada à anestesia geral nos equinos é de cerca de 1 por cento, comparado com 0.1% nos cães e 0.01% nos humanos. Ainda assim, esta taxa de mortalidade é considerada baixa e a anestesia geral nos cavalos é hoje em dia considerada um procedimento seguro. No entanto o recobro da anestesia geral continua a ser uma fase potencialmente perigosa sendo que 70% das fatalidades durante o recobro da anestesia geral são devidas a fraturas catastróficas associadas a um recobro de má qualidade.

Além das raras lesões musculoesqueléticas que põem em risco a vida do animal, um recobro de má qualidade pode causar lesões que apesar de não porem em risco a vida do animal, podem ter efeitos negativos na sua qualidade de vida, causar lesões no pessoal assistente ou destruir pensos e ligaduras. Os riscos associados ao recobro de má qualidade, quase inexistentes durante a anestesia em pequenos animais, não são devidos apenas ao grande porte dos cavalos uma vez que os bovinos, apesar de um porte semelhante ao dos equinos, costumam ter recobros sossegados e seguros. A principal diferença, em comparação com outras espécies domésticas presas de grande porte que recuperam com mais segurança de uma anestesia geral, é que os cavalos apresentam um reflexo de fuga muito marcado em resposta a situações de perigo percetível. Este instinto natural faz com que seja muito mais provável um cavalo tentar levantar-se prematuramente da posição de decúbito, antes de ter recuperado completamente o equilíbrio e o tónus muscular. Esta fraqueza e ataxia têm um impacto negativo sobre a qualidade do recobro.

Existe uma impressão clínica que quando um cavalo é submetido a múltiplos eventos de anestesia geral, seja para repetição de cirurgias ou de técnicas de imagiologia avançadas (ressonância magnética, mielograma, etc.), ou ambos (imagiologia e depois cirurgia), tende a ter uma qualidade progressivamente melhorada no recobro de cada anestesia geral. Apesar desta impressão comum à maior parte dos veterinários de equinos, não existia evidência comprovada na literatura de que os cavalos aprendem ou habituam-se à fase do recobro da anestesia geral à medida que ganham experiencia com repetições de episódios de anestesia geral.

Os autores deste estudo, da Universidade do Texas (EUA), anestesistas experientes em anestesia de equinos, avaliaram independentemente e pontuaram uma série de vídeos de cavalos durante o recobro da anestesia geral. Os vídeos foram apresentados de forma aleatória sem conhecimento da existência ou não de episódios prévios de anestesia geral.

Os recobros considerados de melhor qualidade são aqueles em que o cavalo permanece mais tempo em decúbito lateral e consegue levantar-se com um número mínimo de tentativas.

Neste estudo não se incluíram casos cirúrgicos para eliminar a variável do efeito da cirurgia na qualidade do recobro. Utilizaram-se 8 cavalos saudáveis de idade compreendida entre os 2 e os 5 anos e cada cavalo foi submetido a 6 episódios de anestesia geral, num período total de 14 semanas, tendo sido submetidos a exames de ressonância magnética para a realização de um outro estudo.

O protocolo de anestesia (indução, manutenção e recobro) foi idêntico para todos os 48 procedimentos.

Neste estudo todos os recobros foram considerados satisfatórios uma vez que não houve necessidade de intervenção nem ocorrência de lesões. Entre os parâmetros de qualidade observados durante o recobro, o equilíbrio, coordenação e extensão dos boletos foram considerados significativamente melhores entre a primeira e a sexta anestesia geral. A duração do decúbito lateral foi significativamente mais longa nas ultimas anestesias.

Apesar de reconhecerem algumas limitações no estudo, como o pequeno tamanho da amostra, os autores concluíram que os cavalos tiveram capacidade de aprender a fazer um recobro de melhor qualidade através do processo da habituação. Além disso também verificaram que múltiplas anestesias não tiveram qualquer efeito fisiológico nem consequências deletérias para a saude dos animais.

Categorias: Artigos, Veterinária