Lusitanos da Tramagueira em foco

Lusitanos da Tramagueira em foco

Por Rodrigo Coelho de Almeida

Desloquei-me a mais uma das nossas coudelarias, desta vez perto de Ferreira do Alentejo, mais exactamente na Herdade da Tramagueira. O mentor e proprietário do projecto coudélico é o Eng.º José Filipe Guerreiro dos Santos, que através de uma gestão totalmente pessoal, incute uma dinâmica de modernidade muito adequada aos dias que correm, quer na escolha do tipo de cavalo pretendido, quer na gestão da vertente comercial. Como resultado: praticamente todos os poldros encontram-se vendidos, desde os de ano, aos de dois anos e os de três anos. A construção das instalações revela pragmatismo e sentido económico, na adaptação de uma vacaria antiga, a um ambiente eficaz ao maneio dos animais da coudelaria.

De nacionalidade holandesa, Angelique Hofman Borba é a cavaleira residente. Através da dedicação e profissionalismo tão próprios da sua cultura, ministra os primeiros ensinamentos aos poldros da Tramagueira. Os poldros estão calmos e sociáveis como convém.

A coudelaria da Tramagueira possui um efectivo de sete éguas, que foram seleccionadas com base numa única égua, a Hanover HP (Nilo MV x Vieira HP por Emulo DO), cujos descendentes se destacaram funcionalmente, entre a descendência das três éguas da fundação. A mecânica de andamentos, o temperamento e a funcionalidade ditaram igualmente a escolha das reprodutoras, atendendo a que o mercado e objectivos da coudelaria se encontram centrados na dressage, e nos clientes do centro e norte da Europa.

A linha base das éguas é muito alicerçada na linha Firme SA através do Nilo MV e Opus 72 MV, tendo sido utilizados posteriormente garanhões de linhagem Veiga. Como garanhões têm sido utilizados nos últimos anos os seguintes cavalos: Dom Soberano JGS; Hostil GUB; Soberano GUB; Campeador CSM; Assírio D’Atela FBC; entre outros. A coudelaria tem assim pretendido conjugar uma base de éguas cuja genética deu provas no toureio, (caso do Ocidental JGS – vídeo do cavalo em Las Ventas: http://www.youtube.com/watch?v=XMdvtvgqfjs) com uma linha mais desportiva e de maior dimensão, procurando assim produzir animais da “raça” mas com andamentos, dimensão e temperamento conducentes com o desporto moderno.

Éguas da Coudelaria

O efectivo de éguas é composto por: Urtiga JGS (Universo MV x Hanover HP por Nilo MV) 81 Pts.; Tramagueira JGS (Eleito MAC x Hanover HP por Nilo MV) 77,5 Pts; Desordeira JGS (Siroco CSM x Sonhadora JGS por Navegante VA) 75,5 Pts.; Sonhadora JGS (Navegante VA x Hanover HP por Nilo MV) 77 Pts.; Bussola JGS (Siroco CSM x Hanover HP por Nilo MV) 74,5 Pts.; Duquesa JGS  (Quarteto da Brôa MV x Tramagueira JGS por Eleito MAC) 73 Pts.; e Fada JGS (Assirio FBC x Bussola JGS por Siroco CSM). A matriarca Hanover HP encontra-se actualmente em França, num projecto conjunto com o Haras de la Gesse, numa tentativa de produção de mais alguns produtos desta égua através de transferência de embriões.

Dom Soberano JGS na Holanda

O actual ex-libris da coudelaria é o Dom Soberano da Tramagueira (já com descendência na Tramagueira http://www.youtube.com/watch?v=pdRoytyxyV8). Uma das maiores especialistas de dressage da Holanda e ao nível mundial, Karin Retera, que além de juíza internacional de Grande Prémio, é juíza da raça KWPN e colunista em muitas revistas de equitação na Holanda, estudou o interesse da complementaridade decorrente da introdução de uma raça de cavalos de sela de sangue quente, no efetivo KWPN. A escolha recaiu no Puro Sangue Lusitano.

Foto: Don Soberano MT

Depois de uma visita a Portugal para avaliação de várias hipóteses, ficou rendida com a qualidade do Don Soberano do MT. Neste momento o cavalo encontra-se na Holanda, em preparação para entrada em competição em dressage, tendo já beneficiado, a título experimental, algumas éguas KWPN. Já sob sua orientação foi inscrito no Livro de Adultos com 76 pontos e obteve mais um título de campeão em modelo de andamentos.

Poldros no campo  Podemos constatar que o efectivo é composto por animais sociáveis e calmos. Os poldros têm tamanho, e uma mecânica de andamentos muito acima da média. Conforme pude confirmar através da dinâmica dos dois poldros de dois anos que foram soltos no picadeiro coberto.

Esta coudelaria é um forte exemplo da capacidade de empreendedorismo que os portugueses conseguem alcançar, quando existe empenho, conhecimento de causa, e motivação para trabalhar com um produto 100% made in Portugal. Dos Estados Unidos da América, passando pela Nicarágua, e não esquecendo países como a Holanda, Inglaterra, Alemanha, Espanha, Dinamarca, Suíça, Suécia, e outros tais, os cavalos da Tramagueira têm suscitado a apetência destes mercados, divulgando e elevando o bom nome do Puro Sangue Lusitano no meio hípico da gentes dessas terras. Gran Soberano da Tramagueira (Soberano GUB x Hanover HP por Nilo MV) Don Soberano MT

Categorias: Actualidade, Artigos