Epifisite

Epifisite

Dr. Henrique Moreira da Cruz
Abordando problemas ortopédicos em poldros, vamos descrever sucintamente uma doença denominada epifisite que afecta cavalos jovens em crescimento e é caracterizada pela dilatação das placas de crescimento de certos ossos. A doença afecta principalmente poldros desde os 4 meses até á idade do desmame. Contudo, animais de um e dois anos podem também por vezes ser afectados. O termo “epifisite” pode ser considerado impróprio, na medida em que na nomenclatura médica o sufixo “ite” diz respeito a uma inflamação. Há quem defenda que “displasia da epífise” seja um termo mais apropriado uma vez que nesta doença não existe qualquer inflamação activa na epífise ou placa de crescimento do osso. Trata-se de uma rotura no processo de ossificação endocondral na zona cartilaginea da placa de crescimento. Esta ruptura é semelhante ao processo causador da osteocondrose que afecta a cartilagem articular. No entanto esta displasia conduz ao aparecimento dos sinais clínicos de inflamação tais como inchaço, dor, e calor; e daí o termo comum de epifisite.A causa exacta desta doença é desconhecida, mas pensa-se que, tal como nos restantes síndromes de doenças ortopédicas do desenvolvimento, as causas sejam multifactoriais diferindo de caso para caso. Por exemplo, no caso de um poldro com vários membros afectados é provável que se trate de um problema de nutrição. Por outro lado a epifisite localizada só num membro pode ser o resultado de trauma ou compressão excessiva da placa de crescimento. Em muitos casos a doença aparenta ter uma componente mecânica e uma componente nutricional. Os animais afectados apresentam-se frequentemente bem musculados e com excesso de peso, e normalmente são bem alimentados com o fim de promover um crescimento rápido. Esta noção errada que muitos criadores têm, de promover o crescimento dos poldros através de uma alimentação rica e excessiva, está na base do desenvolvimento de muitas doenças ortopédicas, tais como a osteocondrose e a epifisite.

1226916646108815681265epif3

Foto: Radiografia da articulação radiocarpiana ilustrando a porção distal do rádio

Os sinais clínicos de um poldro com epifisite são a dilatação excessiva da região da placa de crescimento dos ossos longos, particularmente do radio e tíbia e metacarpo/metatarso. Este inchaço é de natureza dura, está associado a calor na pele e é doloroso quando se palpa. O grau de claudicação varia conforme a gravidade da doença. Em casos severos de epifisite é possível verificar situações de deformação angular ou flexora dos membros devido á rotura do crescimento ósseo ou dor crónica, respectivamente. O sinal radiográfico mais comum é a produção de tecido ósseo à volta da placa de crescimento.Um dos primeiros passos no tratamento e/ou prevenção desta doença consiste na avaliação da dieta do animal. Como regra geral, a quantidade de proteína e energia na dieta deve ser reduzida. Esta redução é obtida ao dar menos ração e suplementos, e através da substituição de feno por palha de boa qualidade. Nos últimos anos, muitas companhias produtoras de ração desenvolveram e lançaram no mercado dietas para cavalos em crescimento, especialmente formuladas para evitar epifisites e outros problemas ortopédicos de desenvolvimento. Mesmo nestes casos é importante monitorizar a taxa de crescimento dos animais e prevenir episódios de crescimento rápido, reduzindo a quantidade de ração.Durante a fase aguda da doença o repouso é fundamental para prevenir deterioração e, principalmente deformações angulares e/ou flexoras dos membros.

A administração de anti-inflamatórios também desempenha um papel importante na resolução dos sinais clínicos.A maioria dos casos de epifisite são passageiros e respondem favoravelmente ao tratamento; no entanto, quando não tratados devida ou atempadamente, podem levar a problemas suficientemente severos para afectarem a futura carreira desportiva do animal.

Categorias: Artigos, Veterinária
Tags: Epifisite