Dica do Mês – Reprodução

Dica do Mês – Reprodução

Texto: Dr. Henrique Cruz.

Muitas vezes deparamo-nos com a situação em que o proprietário de uma égua decide criar um poldro da sua égua pelo simples facto de se tratar de uma fêmea. Esta decisão não está necessariamente certa nem errada. Contudo, a decisão de utilizar uma égua para a reprodução deveria merecer alguma consideração e reflexão. Ao ponderar este assunto, colocam-se as seguintes questões: Que tipo de poldro pretende produzir? A égua tem qualidades para ser uma boa reprodutora? Tem qualidades genéticas que interessam tentar transferir de geração para geração? Que tipo de cuidados serão necessários? Quais os custos que isto vai acarretar?

A experiência de criar um poldro a partir de uma égua nossa pode ser muito gratificante. No entanto requer algum esforço e uma grande responsabilidade.

Nos dias de hoje, a criação cavalar é uma actividade extremamente competitiva, o que felizmente resulta na obtenção de produtos de alta qualidade. Contudo, nem todos os poldros atingem esta qualidade elevada. Existe um grande “refugo” de cavalos de qualidade inferior, muitos dos quais acabam por ter uma vida menos digna. Alguns deles acabam sendo transportados em condições menos humanas para terminar num matadouro. Ao criar um poldro devemos pensar que estamos a fazer algo mais do que criar mais um equino.As éguas devem iniciar a reprodução depois dos 3 anos, podendo continuar a criar até depois dos vinte. Contudo, a eficiência reprodutora de uma égua começa a decrescer significativamente depois dos 12 anos de idade. Isto é principalmente verdade no caso de éguas que nunca criaram antes.

O estado físico e condição corporal da égua afectam a sua fertilidade. Uma égua reprodutora não deve estar gorda nem magra. Deve ser possível palpar as costelas, mas estas não devem ser visíveis. Deve ser saudarei e ter uma boa alimentação.A égua deve estar devidamente desparasitada e com as vacinas em dia. Deve planear com o seu médico veterinário qual o programa de vacinação que melhor se adapta às suas necessidades.O seu médico veterinário também deveria fazer um exame clínico à égua antes do inicio da época reprodutiva. Este exame tem particular incidência sobre o aparelho reprodutor e visa detectar qualquer anomalia ou doença que afectem a fertilidade da égua. Por vezes, este exame inclui análises ao sangue para detectar níveis de hormonas e culturas bacterianas para eliminar a presença de infecções uterinas (endometrites). Todas as anomalias devem ser tratadas antes de iniciar a actividade reprodutiva de modo a aumentar a taxa de sucesso.A selecção do garanhão é igualmente importante. Pretende obter um poldro para manter em casa e montar por lazer? Pretende vender o animal? Pretende criar um animal para alta competição? Os seus objectivos determinam a escolha do garanhão.

Deve escolher um garanhão com boa conformação e com um tamanho adequado ao tamanho da égua. A conformação do garanhão deveria complementar a conformação da sua égua. Também é muito importante escolher um garanhão com provas dadas e ter conhecimento das suas características genéticas e heritabilidade. Tente falar com outros criadores experientes e pedir conselhos sobre a escolha do garanhão para a sua égua.

Categorias: Artigos, Maneio & Técnica