Batuta um caso!

Batuta um caso!

Por: Rodrigo Coelho de Almeida

O conjunto Gonçalo Carvalho/Batuta não escapa a essa legítima desconfiança, dirigida a um conjunto jovem, ambicioso, e competitivo, que está a dar os primeiros passos no panorama da dressage Nacional e Internacional.

A égua Batuta tem oito anos, é Lusitana e foi criada pela Sociedade Quinta das Terras. É filha do Quixote da Coudelaria do Monte Velho, e da Jandaia da Coudelaria de José Henriques Casquinha e Herd.. Aproveito para deixar a minha sincera homenagem ao Sr. Casquinha, pelo excelente legado genético que deixou na raça Lusitana.

Pela mão de José António Garcia Mena, a Batuta destacou-se em Espanha, e em julho deste ano foi entregue ao cavaleiro Olímpico Gonçalo Carvalho, após a aquisição de Mário Franco da International Sport Horses Investment.

A recente estreia do conjunto no CDE da Rural Beja, ficou aquém das expetativas previstas, pelo que se gerou uma curiosidade imensa e generalizada quanto à prestação seguinte no CDI4* de Munique.

Veni, vidi, vici (Vim, vi, venci) é uma frase que pode ser aplicada com total justiça à prestação de Gonçalo Carvalho/Batuta em Munique. As notas de 72.941 %, 72.059 %, 71.765 %, 73.628 %, 72.157 %, deram a média de 72.510 %, e conferiram a vitória absoluta a Gonçalo Carvalho/Batuta sobre os outros conjuntos presentes no Grande Prémio Especial.

É certo que há erros a limar, as imagens falam por si, mas é igualmente correto afirmar que o conjunto é muito jovem e que as prestações têm vindo em crescendo. No momento em que o conjunto conseguir canalizar sem arestas, a super vibração e dinâmica desta égua, estaremos perante um caso maior de impacto e sucesso Internacional no panorama do Lusitano.

Com humildade, determinação, e muito trabalho… não vejo porque não!

Oxalá haja mais conjuntos na calha com este potencial… os olhos estão igualmente postos no conjunto Manuel Veiga/Altivo da Broa.