Diego Ventura recebe o prémio Leão da Baviera em Munique

Diego Ventura recebe o prémio Leão da Baviera em Munique

Diego Ventura. Foto (c) Paloma Aguilar

Este é um prémio cuja responsabilidade é da Asociación Taurina de Munique, reconhecendo as 14 portas grandes abertas por Diego Ventura na Monumental de Las Ventas, Madrid, entre outros feitos na carreira.

Diego Ventura receberá neste sábado a homenagem e o reconhecimento dos aficionados alemães, que também existem. Especificamente, a Asociación Taurina de Munique, que lhe concede o Leão da Baviera, um prémio que é entregue pela segunda vez. O primeiro foi em 2015 para Eduardo Dávila Miura.

É um prémio que valoriza toda uma carreira na tauromaquia e que Ventura recebe quando está prestes a celebrar o vigésimo aniversário da sua alternativa. De forma concreta, ele também é recompensado pelo marco das catorze grandes portas que já alcançou em Las Ventas, Madrid, um registo que ele compartilha com o mestre Santiago Martin El Viti.

O rejoneador luso-português será o protagonista de um intenso fim-de-semana na capital alemã. Os organizadores prepararam para ele um programa cuidadoso de visitas que, acima de tudo, permitirá que ele estabeleça um contacto muito próximo com os aficionados alemães, que têm o mérito de viver a sua paixão pela tourada até agora num ambiente tão diferente para o toureiro. Tudo isso culminará com o jantar que terá lugar no sábado à noite num conhecido restaurante em Munique, que contará com a participação de cerca de duzentos convidados, incluindo inúmeros empresários e personalidades da sociedade civil da cidade. Um vídeo editado será projectado para a ocasião, onde é feito um passeio pela vida e carreira de Diego Ventura.

O toureiro ficou “encantado e surpreso com esta homenagem. É sempre impressionante saber que existem pessoas que vivem tão longe dos espaços mais decisivos e influentes da cultura taurina e que, em vez disso, vivem com paixão e entusiasmo” para visitá-los com gratidão pelo reconhecimento que eles me deram, mas, acima de tudo, plantar num país como a Alemanha a semente da tourada e cultivá-la com o mimo com o qual eles fazem isso “.

Categorias: Notícias, Tauromaquia