Cavalos portugueses traficados em Espanha (VÍDEO)

Cavalos portugueses traficados em Espanha (VÍDEO)

Três pessoas foram detidas ao tentar vender nove cavalos para serem consumidos por humanos.

As anomalias foram detectadas à chegada a Mercazaragoza (o mercado de Saragoça), Espanha, depois dos cavalos terem sido comprados em Elvas, no Alentejo.

Os animais foram adquiridos com o propósito de serem vendidos em Saragoça, mas a documentação foi adulterada no caminho, o que motivou a intervenção da Guardia Civil espanhola, anunciada esta segunda-feira.

O alarme foi dado pelo responsável pelos veterinários do mercado de Saragoça, ainda em Maio. Dias depois, a Guardia Civil conseguiu capturar os animais antes de serem abatidos para consumo humano. Os seus documentos de identificação são portugueses, mas apresentam “uma série de irregularidades”, revelaram as autoridades.

Alguns dados foram simplesmente eliminados dos documentos, onde deveria constar que os cavalos não estavam em condições de serem consumidos por humanos. Para além disso, diversas incongruências ajudaram a descobrir o embuste: os cavalos saíram de Portugal a 18 de Abril e só chegaram a Saragoça dois dias depois e não no próprio dia, como esperado. Também o veículo de transporte registado era diferente do constante na documentação, bem como o seu condutor.

Os detidos são dois vizinhos de Cervera e um dono de uma quinta em Navarrete, em La Rioja, que agora estão acusados de atentado à saúde pública e falsificação de documentos.

Este tipo de crime é relativamente comum no meio. Aliás, a mesma Guardia Civil levou a cabo, em 2014, uma operação para desmantelar diversos traficantes de animais que falsificavam documentos de cavalos impróprios para consumo e os conduziam até aos matadouros.

CAVALOS RESGATADOS SÃO PROVENIENTES DE PORTUGAL

Os nove animais portugueses possuem Documento de Identificação de Equídeos, com código e nome próprio, emitidos pela Direcção-Geral de Alimentação e Veterinário.

Num dos passaportes, é possível perceber que um dos poldros, de nome “Russa” e do sexo feminino, nasceu em 2014 e tem certificado de origem datado deste ano, emitido em Portugal.

Categorias: Nacional, Notícias