Cavaleiro húngaro culpado de “dopar” cavalos rivais

Cavaleiro húngaro culpado de “dopar” cavalos rivais

Laszlo Toth / Isti. Foto (c) Tomas Holcbecher.

O cavaleiro de saltos de obstáculos húngaro, Laszlo Toth Jr. de 30 anos, que já representou o seu país em várias ocasiões incluindo o Campeonato do Mundo, foi considerado culpado por dopar dois cavalos rivais para conseguir ser seleccionado para os últimos Campeonatos da Europa em 2017.

O incidente aconteceu durante o CSI4* de Bratislava na Eslovária em Agosto antes do Europeu em Gotemburgo. Na última jornada do CSI4* os cavaleiros húngaros Mariann Hugyecs and Gabor Szabo Jr. notaram que os seus cavalos de Grande Prémio não aparentavam estar de boa saúde. Os dois cavaleiros decidiram imediatamente retirar as suas montadas, Chacco Boy e Timpex Bolcsesz, do Grande Prémio e pediram um exame veterinário e um teste de controlo antidoping voluntário que acusou a substância proibida, Acetilpromazina (tranquilizante).

Ainda não está claro o motivo que levou os dois cavaleiros a suspeitarem que os seus cavalos estariam dopados, porém e após investigação, ficou-se a saber que um tratador tinha visto Laszlo Toth Jr. a entrar na boxe de um dos cavalos com uma seringa. Este cavaleiro subsequentemente admitiu que tinha entrado na boxe de Timpex Bolcsesz, apenas para “acalmar” o cavalo.

A Federação Equestre Húngara foi mais célere na sua actuação em relação ao Tribunal da FEI, suspendendo imediatamente Toth Jr de todos os concursos de saltos nacionais e internacionais.

É surpreendente que este incidente só agora seja do conhecimento do público (ver anexo).