Insuficiência Alimentar no Inverno

Insuficiência Alimentar no Inverno

Foto (c) Paula da Silva

Texto: Dr. Carlos Rosa Santos (MV).

Durante os meses de Inverno e apesar de comerem aparentemente o necessário, os cavalos podem sofrer os sintomas do sindroma da insuficiência alimentar. Com temperaturas baixas os cavalos podem necessitar de 10 a 20% mais energia para manter a temperatura do corpo. Necessitam de manter a temperatura corporal mais elevada à medida que a temperatura desce. A causa principal da deficiência alimentar é falta de alimento suficiente para repor as calorias utilizadas. O pêlo comprido de Inverno não permite por vezes a observação correcta do estado físico do cavalo.

Os cavalos preferem hidratos de carbono ou gordura para transformar em energia, utilizando as proteínas se esses nutrientes forem insuficientes. Na falta dos nutrientes necessários utilizarão as suas próprias reservas de gordura até ao esgotamento, utilizando depois a proteína do tecido muscular numa tentativa de produzir calor.

Os sintomas comuns do sindroma de insuficiência alimentar são: depressão, fraqueza, diminuição da temperatura corporal, pêlo baço e hirsuto, má condição física, membros e orelhas frios, desidratação, dificuldades em se levantarem e, espantosamente, diminuição do apetite.

A melhor forma de prevenir este problema é manter os cavalos bem alimentados durante o ano. Muitos cavalos adultos inactivos podem manter-se com feno de boa qualidade, sal mineralizado e água em quantidade e qualidade suficientes.

Não pense em criar reservas nutritivas para que eles atravessem os meses de Inverno. Observe diariamente cada cavalo para detectar problemas de saúde e para se assegurar de que comem e bebem.

Se os animais tiverem o pêlo comprido, passe-lhes a mão pelas costelas e pelas costas semanalmente. Se a camada de gordura for muito pequena considere o cavalo magro ou num estado emaciado. Dê tempo a que os cavalos se adaptem ao frio, deixando que o pêlo cresça. Se tiverem estado em boxes ponha-os no campo durante curtos períodos de tempo para estimular o crescimento do pêlo antes de os deixar fora permanentemente.

Os cavalos que vivem no exterior são normalmente mais saudáveis. No entanto precisam de se manter secos e abrigados de ventos fortes: um abrigo aberto de um dos lados é habitualmente protecção suficiente. Se se mantiverem em boas condições físicas não é necessário providenciar cereais. O feno produz temperatura corporal mais elevada devido à forma como é digerido, por um processo de fermentação no intestino.Um cavalo adulto inactivo, de 450kg de peso necessitará de 10 a 12kg de alimento por dia no Inverno. Se o Inverno for áspero é necessário dar mais 3kg de feno. Se o feno for de má qualidade a energia assimilada é menor e os cavalos não conseguem consumir a quantidade necessária para cobrir o consumo de energia; sofrendo um abaixamento de forma, tendo dificuldade em manter uma temperatura corporal confortável.

Em qualquer estação do ano os cavalos adultos necessitam de pelo menos 45 a 50 litros de água por dia; devendo haver um excedente de água à disposição porque o consumo individual varia. A água deve ser de boa qualidade e fornecida a uma temperatura razoável, de 5 a 10 graus centígrados. Se a água estiver muito fria ou com gelo os cavalos bebem menos.

Um estudo recente feito com póneis em tempo frio, mostrou que o consumo de água chegava a aumentar 40% se a temperatura desta fosse elevada até aos 32 graus centígrados. A água aquecida beneficia provavelmente os cavalos mais idosos que têm tendência a ter os dentes mais sensíveis.

Desparasite os cavalos pelo menos quatro vezes por ano. Consultar o médico-veterinário ajuda os proprietários a desenvolver um programa adequado de forma a que os parasitas internos não afectem a saúde do cavalo. Se observar alguns dos sintomas descritos contacte um veterinário para que este examine o cavalo. Se a insuficiência não estiver demasiadamente avançada só serão necessários reajustes de maneio tais como alterações na alimentação. Quando os sintomas são pronunciados o veterinário pode ter que providenciar nutrição suplementar por entubação ou injecções endovenosas para ajudar o cavalo.

Categorias: Artigos, Maneio & Técnica