Futuro das Corridas de Cavalos: mais modernidade e mudanças necessárias

Futuro das Corridas de Cavalos: mais modernidade e mudanças necessárias

American Pharoah

As corridas de cavalos é um dos desportos mais tradicionais do planeta e popular na América, Europa e Ásia. Apesar de toda tradição, as corridas de cavalos enfrentam algumas questões relevantes para o futuro e a tecnologia parece ser cada vez mais parte da rotina desse desporto.

É preciso soluções para aumentar a popularidade — Nos Estados Unidos, a popularidade das corridas de cavalos está a cair e isso está a gerar preocupações entre os cavaleiros. Numa pesquisa realizada pelo site Harris em Janeiro de 2016, concluiu-se que apenas 1% dos americanos consideram as corridas de cavalos o desporto favorito. Esse resultado coloca a modalidade na 13ª posição dos americanos. Em 1985, quando as corridas de cavalos atraíam mais pessoas, este desporto era o 8° mais popular, com 4% de preferência.

As movimentações continuam em alta, mas nos Estados Unidos caiu de 15,2 bilhões de dólares em 2003 para 10,6 bilhões de dólares em 2015. “As corridas de cavalos precisam de mudanças urgentes. É preciso repensar como o desporto é visto hoje e como quer ser visto no futuro” diz Dean Crutchfield, director da empresa Sterling Brands.

Em 2011, o tradicional The Jockey Club, inaugurado em 1750, disse que se a situação das corridas de cavalos continuar na mesma em 2021 o orçamento para o desporto cairá em 25%.

Mais modernidade —  Uma das alternativas para aumentar a popularidade pode estar no envolvimento com o público jovem e a interacção com o online. “Precisamos de novos ídolos e pessoas que saibam atrair novos adeptos às corridas de cavalos. Se tudo continuar como está, vamos perder espaço para outros desportos”, afirma o cavaleiro Josh McKinney.

Com a globalização da rede mundial de computadores e o facto de que quase 70% dos portugueses utilizam a internet, o futuro está cada vez mais no mundo online. Para as corridas de cavalos, isso implica em mais lojas virtuais e sites especializados em notícias no assunto.

Há vários exemplos de outros segmentos tradicionais e seculares que estão a modernizar-se, como é o caso do casino, que no mundo online tem também loja virtual e acessórios. O caminho deve ser o mesmo para os assuntos relacionados a cavalo.

Os poldros do American Pharoah já chegaram — Um dos grandes cavalos de sempre, foi o American Pharoah vencedor da Triple Crown em 2015 que colocou o seu nome na história das corridas. Este cavalo agora retirado das pistas cumpre actualmente funções de reprodutor.

Em Janeiro deste ano, um poldro do American Pharoah foi vendido por 1 milhão de dólares a M.V. Magnier no tradicional leilão de Keeneland, nos Estados Unidos. Com um ano de vida, a expectativa é que os poldros cheguem às pistas em 2019, e quando isso acontecer a média vai acompanhar de perto a sua trajectória, o que será excelente para a popularidade do desporto.

O futuro nos treinos — O treino dos poldros pode tornar-se igual entre os competidores de classe mundial no futuro. Isso por causa do Kurtsystem, utilizado criado na Inglaterra que ajuda o cavalo atingir o seu potencial físico.

Estimado em 22 milhões de euros, os poldros são colocados nessas máquinas que fazem o processo automático de treino ao invés do cavaleiro. Nesse sistema, inaugurado na cidade de Lambourn, perto de Londres, o equipamento pode treinar até 10 poldros numa trajectória de 1,5 quilómetros.

“O Kurtsystem é projetado para fortalecer a massa óssea e muscular. Questões que podem interromper as suas carreiras logo no início da trajectória de cada um deles”, afirma o repórter Rupert Evelyn, da ITV News, que noticiou a novidade.

Modernizar o treino dos cavalos não é só uma medida para aumentar a qualidade deles. “Muitos poldros sofrem ferimentos no início do treino porque não estão prontos para iniciar o mesmo nas pistas da rotina”, diz Daniele Camuffo, director da Kurtsystems Stud.

Categorias: Actualidade, Artigos